Votorantim Cimentos
Publicado em 10/06/20164 sinais de problemas com o concreto
As trincas necessitam de atenção profissional, pois são mais profundas e podem atravessar toda a estrutura

4 sinais de problemas com o concreto

Manchas, eflorescência, desagregação, fissuras e trincas são indícios que merecem atenção

O concreto armado está sujeito a diferentes tipos de influências, que vão dos aditivos aos agentes do meio ambiente, como gases, vapores e micro-organismos, passando pelas interações entre as substâncias que o compõem – cimento, areia, brita, água e aço. Ao longo de sua vida útil, pode apresentar patologias resultantes dessas interfaces ou mesmo de problemas de origem (que nascem com a estrutura), afetando seu desempenho e podendo até comprometer a segurança de toda a construção.

Manchas, eflorescência, desagregação, fissuras e trincas podem ser indicativos de que alguma coisa não vai bem e, portanto, merecem atenção. Veja a seguir o que cada um desses sinais pode dizer sobre a ‘saúde’ da estrutura.

1 – Manchas

As manchas podem ser indício de oxidação nas armaduras. A corrosão no concreto armado, normalmente, acontece em áreas mais expostas à umidade e aos agentes agressivos, ou em estruturas com muitas falhas, como ninhos de concretagem que, pela alta porosidade local, acabam por facilitar a penetração de agentes agressivos. A oxidação da armadura diminui a vida útil de toda a estrutura.

2 – Eflorescência

O desenvolvimento de depósitos salinos na superfície do concreto é chamado de eflorescência. Visualmente, a situação é notada pela mudança de cor na área afetada, que fica esbranquiçada. Os sais que causam a eflorescência são agressivos e resultam na profunda degradação do concreto e também geram a corrosão das armaduras. O contato da estrutura com a água – de infiltrações ou de qualquer outra fonte externa – é a causa do problema.

3 – Desagregação

Desagregação é o termo usado para nomear a separação física do concreto, que se desprende em pedaços ou placas. O problema ocorre com a perda da função ligante do cimento, e suas causas são diversas, sendo possível destacar a movimentação de fôrmas, corrosão ou calcinação do concreto, ataques biológicos, carbonatação, perda de aderência e desgaste do concreto. Quando a desagregação acontece, a estrutura perde a capacidade de resistir aos esforços solicitados.

4 – Fissuras ou trincas

As fissuras ou trincas são os sinais mais frequentes de problemas nas estruturas e suas causas são as mais variadas. As fissuras são danos superficiais, normalmente decorrentes de uso de cimento de baixa qualidade, que se resolvem com a aplicação de massa acrílica no local afetado. Já as trincas necessitam de atenção profissional, pois são mais profundas e podem, até mesmo, atravessar toda a estrutura.

As fissuras ou trincas são classificadas em dois grupos: as ativas – quando apresentam variação de abertura –, e as inativas ou passivas – que não têm variação. Entre as causas estão as vibrações, retração hidráulica, variações térmicas, esforços solicitantes excessivos, flexão e cisalhamento.

Saiba mais: USP testa materiais para pavimentação com concreto continuamente armado

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também