Votorantim Cimentos
Mapa da Obra - E-book

Guia das redes sociais para sua loja

Baixe agora!

Publicado por Carla Rocha em 13/01/2021Cuidados na integração de loja física e marketplaces
Para se destacar no ambiente on-line é importante oferecer possibilidades de compra variadas para o cliente e ajuda a suprir o senso de urgência.Créditos: Shutterstock

Cuidados na integração de loja física e marketplaces

É preciso dar o primeiro passo e estar sempre disposto a aprender

Grandes players do mercado têm aproveitado o período de pandemia para implementar diversas estratégias de vendas na loja física utilizando novas tecnologias ou parcerias com marketplaces para se destacar e, com isso, aumentar as vendas do seu negócio. Os pequenos lojistas de materiais de construção também têm muito a ganhar com essas mudanças, mas antes de iniciar o processo de vendas on-line ou implementar um e-commerce, é preciso se dedicar ao aprendizado e ao planejamento.

De acordo com Dayane Soares, profissional de marketing do Center Mega, é compreensível que as novidades podem causar medo e assustar, mas o importante é, apesar do medo, dar o primeiro passo e estar sempre disposto a aprender e sempre testar novas possibilidades para explorar esse mercado em constante desenvolvimento. “Pode-se dizer que ainda somos novos nesse mundo. Ainda temos muito a descobrir. Mas estamos cientes que as possibilidades que o e-commerce nos oferece são infinitas”, ressalta.  

Vantagens e desvantagens da implementação de um e-commerce

Ainda de acordo com ela, o processo de implementação envolve muitas questões e a junção de vários departamentos para que isso dê certo. O maior desafio ao implementar um e-commerce, primeiro é fazer com que ele seja integrado com o seu sistema ERP para que ele funcione corretamente apresentando o número correto em estoque, preços e frete, além das integrações de meios de pagamento, análise de risco e etc. “O importante é tentar minimizar a maior possibilidade de erros de integração”, orienta. Já com relação às vantagens de implementar um e-commerce, a principal é ter uma loja aberta 24 horas por dia e 7 dias por semana. Além disso, se ganha muito em termos de dados, pois é possível rastrear seu cliente e entender todo o caminho que ele fez antes de entrar no site, durante e após a sua saída. “E dessa forma entender melhor quem são e se comunicar melhor com eles”, orienta.

Com relação a integração com marketplaces, Dayane destaca que por conta de uma decisão estratégica a opção de sua companhia foi não trabalhar nesse formato: “preferimos por estratégia concentrar o investimento direto no nosso site onde a rentabilidade é maior”, aponta. No entanto, a possibilidade de adentrar neste universo existe e cada loja deve fazer as suas avaliações de viabilidade técnica e também financeira, para saber qual formato é mais interessante e pode garantir uma rentabilidade superior.

Além disso, é preciso estar atento as necessidades do cliente e fazer diversas suposições. “Por exemplo, e se o cliente comprar algum produto e quiser que seja enviado pelos Correios, mas o produto não pode ser enviado, o que deve ser feito?”, questiona. Esse aspecto é muito comum no caso de materiais de construção, que podem apresentar produtos com carga pesada ou até mesmo, materiais com grande risco de quebra, que exige cuidado na entrega. “E se o cliente comprar e quiser retirar de forma fracionada?”, complementa. Então, estar preparado para situações como essas é fundamental para garantir que não surjam problemas futuros com reclamações e perdas de clientes.

3 dicas para começar o processo de implementação de um e-commerce em sua loja:

  1. Avalie sua operação física e como ela funcionaria agregando uma loja on-line no processo. 
  2. Procure, então, uma plataforma que consiga adequar ao máximo suas variações em condições de atendimento e operação e, principalmente, que tenha fácil integração com seu ERP. 
  3. Depois disso, vai da estratégia comercial e marketing de cada empresa para fazer seu e-commerce andar, planejando como querem que o cliente veja sua loja on-line. 

Processo de integração entre a loja física e e-commerce

Outro ponto importante a se destacar no ambiente on-line é oferecer possibilidades de compra variadas para o cliente e ajudar a suprir o senso de urgência. A analista do Center Mega conta que a empresa possui algumas estratégias, como “compre no site e retire na loja mais próxima” o que garante maior entendimento sobre o funcionamento das vendas em e-commerce ou em marketplaces. “Eles já entenderam que comprar no mundo on-line requer espera, e para os que ainda não conseguem lidar com isso, essa foi a opção encontrada para suprir o senso de urgência do cliente”, ressalta. Mas tudo depende de um gosto pessoal de cada consumidor. Existem alguns clientes que preferem fazer todo o processo on-line, pois ele entra no site, faz todo o processo de compra e evita filas, enquanto outros optam por ter um contato mais próximo com o seu vendedor de confiança, por exemplo. No caso do cliente optar pelo compre e retire, ele vai até a loja física e apenas se apresenta com o documento dizendo que veio fazer a retirada do pedido. “Temos uma equipe de suporte já preparada que deixa os pedidos do site separados para também agilizar o atendimento quando o cliente for fazer a retirada”, destaca. Esse processo simples e prático pode agregar muito na experiência do cliente  com a loja.

Confira também os novos hábitos de consumo na construção:
Compartilhe esta matéria

Guia das redes sociais para lojas de materiais

Quero ler!

Mapa da Obra - E-book
X