Votorantim Cimentos
Mapa da Obra - E-book

Confira o que faz o especialista em impressão 3D em obras

Baixe o e-book e descubra as funções desse profissional em uma obra!

Publicado por Aline Fernandes em 21/08/2019Pavimento rígido x pavimento flexível
É preciso considerar a vida útil do material antes de escolher o pavimento idealCréditos: Shutterstock

Pavimento rígido x pavimento flexível

Alternativas se diferenciam, principalmente, em termos de vida útil

Muito utilizado em vias públicas, como ruas, avenidas, estradas, rodovias e, principalmente, em corredores de ônibus, o concreto asfáltico é conhecido por manter a conservação tanto dos veículos quanto da via em si, minimizando os custos com manutenção. Existem dois tipos de pavimentos, o rígido e o flexível. O pavimento rígido é um revestimento composto por placas de concreto de Cimento Portland (PCS) que pode durar até 30 anos; Já o pavimento flexível é composto por revestimento asfáltico (CAUQ) em uma estrutura de múltiplas camadas que dura, aproximadamente, 10 anos.

 

Pavimento rígido

De acordo com o Manual de Pavimentos Rígidos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o concreto aplicado na execução de pavimentos rígidos deve apresentar a resistência característica à tração na flexão definida em projeto, que geralmente é da ordem de 4,5 MPa ou, como no caso dos pavimentos estruturalmente armados, uma resistência característica à compressão axial, que geralmente é de 30 MPa.

O concreto do pavimento deve apresentar também uma baixa variação volumétrica; trabalhabilidade compatível ao equipamento a ser utilizado no espalhamento; adensamento e acabamento a fim de assegurar a durabilidade; e um consumo de cimento igual ou acima de 320 kg/m³ de concreto.

Entre as principais características deste tipo de pavimento está a rigidez elevada em comparação a outros tipos de  pavimentos e melhor desempenho ao longo dos anos, pois ele absorve praticamente todas as tensões aplicadas sobre ele. Existem inúmeros tipos de pavimentos rígidos em uso no Brasil, em função da concepção estrutural e dos materiais empregados, são eles:

 

  1. a) Concreto Convencional ou Rolado;
  2. b) Tipo Whitetopping;
  3. c) Com fibras de aço ou de polipropileno;
  4. d) Sobre-laje em tabuleiros de obras de arte especiais;
  5. e) Com armação simples de retração;
  6. f) Estruturalmente armado, com armação dupla;
  7. g) Com peças pré-moldadas.

 

Pavimento flexível

“O pavimento flexível é aquele em que o revestimento é composto por uma mistura de ligante asfáltico e agregados. Esse revestimento asfáltico é sobreposto as camadas de base, sub-base e reforço do subleito. A nomenclatura para pavimento flexível é atualmente conhecida por pavimento asfáltico, onde o revestimento é uma mistura asfáltica e as camadas de base e sub-base podem ter diversas opções de materiais constituintes, desde uma camada granular até uma camada composta por materiais cimentícios”, explica a professora Flaviane Melo Lopes Vallejo, do curso de Engenharia Civil do Instituto Mauá de Tecnologia.

Para compreender melhor a solução e os requisitos de desempenho do pavimento flexível, o DNIT publicou o material Pavimentos flexíveis – Concreto asfáltico – Especificação de serviço. A principal característica deste tipo de pavimento é sua estrutura em múltiplas camadas que deve resistir e distribuir os esforços oriundos da faixa de rolamento (a camada que fica à vista e tem contato direto com os veículos e pedestres). Estes esforços, no pavimento flexível, são distribuídos em camadas equivalentes que devem trabalhar em conjunto. Seu material, geralmente, é o asfalto.

 

Vantagens e desvantagens

 

De acordo com a docente do Instituto Mauá de Tecnologia, o pavimento rígido normalmente é dimensionado para 20 anos, enquanto o pavimento flexível para 10 anos.

“O pavimento flexível requer maior número de manutenções, possui superfície mais escorregadia quando molhada e menor índice de reflexão de luz. Porém, o pavimento flexível já possui sua tecnologia consolidada no meio técnico, o que garante uma adequação execução”, ressalta Flaviane.

Já o pavimento rígido exige menos intervenções de manutenção, auxilia na difusão de luz, ou seja, no período noturno pode auxiliar a iluminação das vias e ainda fornece boa aderência entre o pneu e o pavimento. “Contudo, o pavimento rígido requer um elevado e adequado controle de execução para garantia de seu sucesso”, complementa.

No Brasil, o pavimento flexível ainda é mais utilizado do que o pavimento rígido. “Sabe-se que o pavimento de concreto teve seu momento de destaque na década de 50, e após esse período, a produção de cimento foi direcionada a indústria da construção civil. O pavimento asfáltico foi impulsionado pelo surgimento de tecnologia em equipamentos e mão de obra”, conta a professora de engenharia civil.

O que analisar na hora de escolher a pavimentação ideal

 

  • Volume de tráfego;
  • Técnica adotada;
  • Viabilidade econômica;
  • Qualidade dos materiais para execução;
  • Geometria do local.

 

 

Um tipo de pavimentação que tem ganhado espaço nas obras brasileiras consiste na utilização da metodologia Whitetopping. Com vida útil superior ao dos pavimentos flexíveis, a alternativa tem se mostrado muito interessante também financeira. Descubra mais sobre este método: https://www.mapadaobra.com.br/inovacao/obras-whitetopping/

 

Referências técnicas: Manual de Pavimentação (DNIT); Pavimentos flexíveis – Concreto asfáltico – Especificação de Serviço (DNIT); Manual de Pavimentos Rígido (DNIT).

Compartilhe esta matéria

Conheça o novo tipo de carreira na construção: especialista em impressão 3D em obra!

Descubra quais qualificações são exigidas desse profissional.

Mapa da Obra - E-book
X