Votorantim Cimentos

Você busca conteúdos exclusivos sobre o mercado da construção civil?

Inscreva-se grátis e receba nossa newsletter.

Publicado em 06/01/20206 passos para aprender como impermeabilizar laje
Impermeabilização com manta pré-moldada é uma das opções a depender do projeto construtivo.Créditos: Shutterstock

6 passos para aprender como impermeabilizar laje

A impermeabilização feita de forma incorreta pode gerar infiltrações que resultarão em patologias

A impermeabilização nas lajes é realizada para evitar que o fluxo da água de uma superfície cause corrosão nas armaduras, infiltrações e, consequentemente, outros problemas estruturais que causam dor de cabeça em projetistas, engenheiros e moradores. Portanto, é uma etapa fundamental em qualquer tipo de obra.

Atualmente, existem inúmeras formas de impermeabilizar lajes, e o primeiro passo para descobrir qual é a adequada para seu projeto, é considerar as particularidades da sua construção. “Para cada caso, deve ser aplicado o impermeabilizante adequado, seguindo especificações de projeto, normas vigentes e especificações dos fabricantes”, indica Elizabeth Montefusco, professora do curso de Engenharia Civil do Instituto Mauá de Tecnologia.

A laje que você deseja impermeabilizar recebe tráfego frequente e fica em uma área externa? Nesse caso, pode ser utilizada manta asfáltica de 4 mm ou impermeabilização a base de membrana líquida de poliuretano, segundo D’awilla Souza, engenheiro civil da CMO, em uma entrevista dada recentemente para o Mapa da Obra.

No caso de coberturas que não recebem veículos e outros tráfegos frequentes, é mais indicado utilizar mantas asfálticas de 3 mm, membranas de poliuretano e impermeabilização a base de pinturas líquidas.

No contexto nacional, a manta asfáltica é a opção mais utilizada devida ao seu custo-benefício. Por isso, junto com a professora Elizabeth, separamos dicas importantes para você seguir na hora de realizar a impermeabilização com manta asfáltica.

 

6 passos para impermeabilizar laje com assertividade

  1. Limpe a superfície: o primeiro passo é limpar completamente a superfície que será impermeabilizada. Ela deve estar livre de contaminações, pó, nata de cimento, ou qualquer outro resíduo solto ou impregnado, como óleo e graxa;
  2. Regularize a superfície: uma superfície disforme não receberá bem o impermeabilizante e, consequentemente, não será eficiente na hora de bloquear a entrada de líquidos. Durante a regularização é importante deixar um caimento adequado para o ralo. Cantos vivos e arestas devem ser arredondados com raio mínimo de 5 cm;
  3. Aplique o primer: essa tinta é uma ligação entre a manta e o local onde ela será aplicada. O tempo de secagem varia de acordo com o indicado pelo fabricante;
  4. Comece a aplicação: ela deve começar pelo ralo e seguir rigorosamente as instruções recomendadas pelo fabricante. O maçarico pode auxiliar nesse processo, pois ele derrete a manta que, por sua vez, adere melhor à superfície. Nos rodapés, a impermeabilização deverá ser ancorada na vertical, no mínimo a 30 cm acima do piso, fixando a extremidade da manta a 3 cm de profundidade;
  5. Faça o teste de estanqueidade: após a aplicação, faça o teste da lâmina d’água durante 72 horas para verificação da estanqueidade, conforme recomendado pela NBR 9574;
  6. Execute a argamassa de proteção: depois da impermeabilização, você pode executar a argamassa de proteção a base de cimento. O piso final deve ser projetado de acordo com o projeto.

 

No emprego de membrana pré-moldada, a fixação é realizada mecanicamente ao concreto, seguindo especificação do projeto e soldada através de aquecedor de ar.

 

Descubra as diferenças entre os impermeabilizantes rígidos e flexíveis:

https://www.mapadaobra.com.br/capacitacao/impermeabilizacao-rigida-e-flexivel-diferencas-e-aplicacoes/

 

 

Compartilhe esta matéria

Confira os detalhes da norma de desempenho

Baixe o e-book e veja como cumprir os requisitos!

Mapa da Obra - E-book
X