Votorantim Cimentos
Publicado em 17/03/2017Graute: vantagens, tipos e aplicações
Muito resistentes, os grautes também podem ser utilizados no preenchimento de colunas de alvenaria estruturalCréditos: BaLL LunLa / shutterstock.com

Graute: vantagens, tipos e aplicações

Com composição e função que se diferenciam do concreto, material é adequado para preencher vazios de concretagem

O graute é um tipo de concreto ou argamassa de alta resistência utilizado para preencher vazios de concretagem, também conhecidos como bicheiras. Seu grande diferencial é a consistência fluida, que dispensa o adensamento com vibrador. Essa característica decorre de sua composição – as britas, por exemplo, são de pequena dimensão (agregados miúdos), enquanto a quantidade de cimento Portland é até cinco vezes superior à utilizada na mistura do concreto convencional. O graute recebe, ainda, aditivos superplastificantes, que ajudam a equilibrar a quantidade de água no traço, sem comprometer o desempenho do material.

O produto também se destaca por alcançar alta resistência inicial e final em curto período, liberando rapidamente as fôrmas e a estrutura. Outra vantagem do material é que ele assegura maior proteção contra os efeitos da corrosão, pois possui baixa permeabilidade. Além disso, garante melhor acabamento e proporciona boa trabalhabilidade e performance elevada, mesmo em severas condições de aplicação.

Por apresentar essas condições, o graute pode ser utilizado em outras aplicações, como preenchimento de colunas de alvenaria estrutural; reforço e recuperação de estruturas; encamisamento; fixação de máquinas e equipamentos a uma base (para suportar a distribuição de cargas uniformes) e até mesmo ancoragem e chumbamento de tirantes e fixadores.

Principais componentes do graute:

  • Cimento Portland;
  • Adições minerais: pozolanas, sílica ativa, filler calcário ou cargas minerais;
  • Aditivos em pó: superplastificantes, aditivos antilavagem dos finos e expansores retentores de água;
  • Agregados (areia e pedrisco): de origem quartzosa, granitos ou areia de sílica;
  • Polímeros (acrilatos ou SBR).

Tipos de graute

O mercado classifica os grautes em dois tipos. O primeiro é à base mineral, ou cimentício, que é destinado a uso geral em construções e indústrias; obras de reparo; aplicações submersas; injeções (com agregados menores que 75 mícrons); e execuções sob altas temperaturas.

Já o segundo é de base orgânica, ou de resinas, aplicado em situações específicas que pedem alta aderência, resistência mecânica a ataques químicos e a óleos, além de boa capacidade para absorver vibrações. Também é utilizado para grauteamento de túneis e cabos de protensão, bem como em grauteamentos geotécnicos.

Industrializado é mais seguro

Para obter melhores resultados na aplicação – principalmente em casos de reparo estrutural, que necessitam de maior resistência – recomenda-se o uso do graute industrializado. Ele chega pré-misturado, exigindo apenas a adição de água. É, também, uma solução mais homogênea, além de passar por um rigoroso controle de qualidade em sua fabricação. De qualquer maneira, é indicado especificar fabricantes reconhecidos no mercado.

Os grautes do Sistema Matrix, produzidos pela Votorantim Cimentos, estão disponíveis em argamassas com resistência de 15, 20, 25 e 30 MPa. Eles atendem a diferentes aplicações, como preenchimento de pequenas áreas, alvenaria estrutural, pilares, canaletas, cintas, vergas e contravergas, chumbamento de placas e portões.

Outra vantagem do Sistema Matrix é a distribuição customizada dos produtos – que pode ser planejada de acordo com a demanda da obra – permitindo a racionalização do canteiro. Como o volume de utilização do graute geralmente não é tão alto, a industrialização evita desperdícios.

 

Veja também os tipos de brita que existem e conheça os diferentes tipos de granulação.

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também