Votorantim Cimentos
Mapa da Obra - E-book

Planilha de orçamento de obras para profissionais!

Baixe grátis!

Publicado por Carla Rocha em 07/01/2021Serviço de pedreiro: precificar a hora ou o projeto?
Precificar de forma incorreta pode fazer com que pedreiros não consigam lucro em seu trabalho.Créditos: Shutterstock

Serviço de pedreiro: precificar a hora ou o projeto?

Desafio está em encontrar valores justos tanto para cliente quanto para profissional

O primeiro passo antes de iniciar uma obra ou reforma é procurar os melhores fornecedores, produtos e, consequentemente, o profissional que realizará o serviço para que seja feito um orçamento e assim, se possa definir o preço. Cobrar por um trabalho é algo que desafia muitos profissionais que atuam em obras, enquanto alguns costumam cobrar pela experiência, outros preferem contar com a eficiência do serviço realizado bem como a qualidade dos materiais empregados durante a execução do empreendimento.

Se por um lado há a necessidade de obter a justa remuneração pelo serviço prestado e evitar prejuízo. Por outro lado, há o receio de que um preço muito alto afaste o contratante. Segundo Enio Pinto, representante do Sebrae, antes de contratar um serviço de pedreiro ou até mesmo oferecê-lo, caso você seja um profissional da obra, vale se perguntar sobre qual percepção você quer que o seu cliente tenha do seu serviço? “Lembre-se que a determinação do preço é uma forma de comunicar aos seus clientes aspectos qualitativos do seu produto”, diz o gerente do Sebrae.

Valor agregado ou serviço?

Segundo o Sebrae, existem alguns pontos primordiais de atenção a serem considerados na hora de definir o preço de um serviço:

O primeiro é o custo para que o trabalho seja realizado. Ele inclui a hora trabalhada e outras despesas, como o custo de locomoção, de alimentação, impostos etc. Nessa hora, vale se perguntar: trata-se de um serviço simples ou complexo? Você vai precisar subcontratar algum ajudante? O serviço em questão é muito influenciado por condições meteorológicas? Responder essas questões é importante. Para tanto, vale buscar referências em obras anteriores similares.

“A gente tem que se preocupar em cobrir os custos, em determinar um preço que não me faça pagar para trabalhar”, diz o gerente do Sebrae, Enio Pinto. Segundo ele, também é necessário observar os preços praticados pela concorrência e a expectativa e o poder de compra da clientela.

Por fim, é preciso considerar o valor agregado ao serviço. Se você é um profissional que oferece competências adicionais, como o domínio de novas tecnologias construtivas, é natural que sua remuneração seja maior.

Como precificar a mão de obra?

Outra decisão importante e que está relacionada à precificação diz respeito à forma de apresentar o orçamento: por hora ou por projeto/empreitada? Nesse caso, não há certo ou errado. O ideal é utilizar um modelo que seja fácil para o trabalhador e para o contratante compreender.

Muito usual, a precificação por projeto ou empreitada estabelece um preço fixo para o serviço, independente do tempo que ele levará para ser concluído. Essa modalidade costuma ter a preferência dos clientes por causa de sua simplicidade e, de modo geral, funciona bem em projetos pequenos, não sujeitos a muitos imprevistos. É importante, contudo, que esse tipo de orçamento esteja apoiado em um contrato bem amarrado que, por exemplo, contenha cláusulas sobre possíveis alterações no decorrer da empreitada.

Na contratação por hora, o pagamento é feito mediante as horas trabalhadas. Nessa modalidade, menos usual na construção civil brasileira, é fundamental alinhar previamente com o cliente a quantidade de horas de trabalho que serão necessárias para realizar o serviço. Imagine que o orçamento inicial preveja 15 horas de trabalho. Se a obra demandar 20 horas por um erro de cálculo do pedreiro ou por uma produtividade de trabalho menor, o prejuízo fica com o contratado, a não ser que se consiga renegociar o contrato com o cliente. Mas, tanto para quem adota a precificação por empreitada, quanto para quem gosta de cobrar por hora, o Sebrae recomenda transparência e muito detalhamento na hora de apresentar ao cliente as opções de serviço. “Fazer um contrato de prestação de serviços claro e objetivo é chave para não ter problemas futuros”, ressalta.

Veja também como realizar um orçamento de pintura:
Compartilhe esta matéria

Planilha de orçamento de obras para profissionais!

Quero baixar!

Mapa da Obra - E-book
X