Votorantim Cimentos
Publicado em 14/03/2019Laje de EPS vs Laje nervurada: Vantagens e diferenças
Para definir a melhor escolha de acordo com cada tipo de construção é fundamental consultar um projetistaCréditos: Shutterstock

Laje de EPS vs Laje nervurada: Vantagens e diferenças

Antes de escolher o melhor tipo de laje para cada construção é fundamental consultar um projetista para que ele considere fatores de impacto

As lajes são elementos estruturais fundamentais nas obras. Geralmente, elas se apoiam em vigas, que são sustentadas por pilares distribuindo as cargas da edificação. São responsáveis por dar suporte ao contrapiso ou funcionar como teto. Existem diversos tipos de lajes, como: laje maciça, laje nervurada, laje treliçada, laje alveolar, laje de EPS, entre outras. É durante a concepção do projeto de uma obra que os engenheiros responsáveis devem realizar a análise de custos e de viabilidade de cada uma dessas lajes.

 

Laje de EPS

A laje de EPS, principalmente as pré-fabricadas, garante uma redução maior em função da redução de peso, além de ser uma opção ambientalmente sustentável por possuir um material 100% reciclável e livre HCFC e CFC, além de ser imune a fungos e bactérias e um excelente isolante térmico.

 

Além disso, esse tipo de material, diferentemente do que aparenta, suporta grandes pesos. Podendo ser aplicada vários tipos de edificações, de acordo com as fontes consultadas, é uma ótima alternativa para obras que também desejam reduzir custos com concreto. Confira características importantes da laje de EPS para a sua obra:

 

  • O EPS possui um isolante térmico e acústico que garante maior conforto ao local e acústico que protege de ruídos gerados no interior do ambiente;
  • Esse tipo de laje é uma boa alternativa quando aplicado à plataformas marítimas, flutuantes e pontes;
  • Uma das normas que pode ser vinculada a esse tipo de laje, quando pré-moldada ou pré-fabricada, é a ABNT NBR 14859 – Laje pré-fabricada. Essa norma especifica os requisitos para os elementos pré-fabricados estruturais quanto à fabricação, recebimento e utilização dos componentes empregados na construção de lajes, para qualquer tipo de edificação. Além disso, a laje de EPS também pode ser feita em obra EPS com a finalidade de substituir as lajotas cerâmicas, mas o sistema é apoiado em lajes treliçadas e precisa concretar depois, além de ter o efeito de melhorar a qualidade da operação.

 

Laje Nervurada

 

A laje nervurada, geralmente, é indicada para projetos com grandes vãos demandam rigidez e resistência e as lajes nervuradas apresentam essas características, pois é constituída por vigas cruzadas que funcionam como apoio para a mesa, porém, devido ao seu alto custo, acabou por ser uma opção pouco atrativa na construção civil. Por ser mais leve comparada a laje a tradicional (maciça) consome menos concreto e aço em sua estrutura, acaba por reduzir o esforço em fundações, vigas e pilares. Elas podem ser:

 

  • Unidirecional: Utilizada quando a distribuição de esforços for feita em uma única direção – geralmente, na do menor vão (caso das lajes treliçadas e lajes pré-moldadas com vigotas);
  • Bidirecional: Utilizada quando a distribuição de esforços for feita em duas direções (lajes com formato mais quadrado).

 

Na hora de definir a melhor escolha para cada tipo de construção é fundamental consultar um projetista para que ele considere diversos fatores como custos, além da resistência do material, a fim de viabilizar o seu uso e garantir a durabilidade daquele projeto. Também é importante considerar a utilização da mão de obra nos processos analisados.

 

Para conferir mais detalhes e especificações, vantagens e desvantagens da laje de EPS, acesse: https://www.mapadaobra.com.br/negocios/laje-de-eps/

 

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também

X