Publicado em 14/05/2013Valter Frigieri fala sobre importância da atualização profissional

Valter Frigieri fala sobre importância da atualização profissional

Engenheiros e arquitetos devem buscar atualização profissional e capacitação para a gestão

Segundo a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), o setor da construção civil deve manter um crescimento estável nos próximos doze meses, com reflexos positivos sobre o mercado de trabalho para engenheiros e arquitetos. O engenheiro Valter Frigieri, gerente de mercado da ABCP, acredita que apesar das boas e muitas oportunidades, quem quiser dar uma guinada na carreira vai ter que buscar atualização profissional. Para ele, a constante inovação tecnológica dos sistemas construtivos exige qualificação periódica através de cursos especializados oferecidos por associações ligadas ao segmento e nas universidades.

Mapa da Obra – Quais as perspectivas de crescimento do setor da construção civil no país?
Valter Frigieri – As projeções continuam boas e talvez até melhores que nos últimos anos. Teremos mais habitações sendo construídas e, com o aumento da renda da população, o mercado de reformas também deverá manter-se aquecido. No passado recente houve um crescimento acelerado do setor imobiliário privado e do mercado de habitações populares, a partir de programas como o Minha Casa Minha Vida, do governo federal. Nos próximos anos, são esperadas grandes obras de infraestrutura – rodovias, saneamento, ferrovias, entre outras, necessárias à Copa e às Olimpíadas. Ao mesmo tempo, o país precisa estar competitivo, para continuar crescendo, e isso também faz apontar para grandes obras de infraestrutura em outros setores, como o energético.

Mapa da Obra – Quais são os reflexos dessas tendências no mercado de trabalho dos engenheiros e arquitetos?
Valter Frigieri – No passado, houve uma migração muito grande de engenheiros civis e arquitetos para outras atividades. Havia até uma expressão que virou moda na década de 1980, quando um engenheiro montava uma lanchonete: “O engenheiro que virou suco”. Hoje, o mercado demanda maior número de profissionais qualificados. O número de profissionais graduados no Brasil ainda é pequeno, em comparação com outros países e, infelizmente, nem sempre estão preparados para as exigências do mercado. Existe uma percepção dos construtores sobre falhas na formação dos nossos profissionais que, muitas vezes, acabam por prejudicar os resultados dos empreendimentos.

Mapa da Obra – Como os profissionais devem se preparar para aproveitar esse momento?
Valter Frigieri – O setor irá demandar, cada vez mais, profissionais que buscam atualização profissional e que tenham capacidade de gestão. Ficar parado, pensando que já sabe tudo, não é uma boa estratégia para quem quer crescer na profissão ou na empresa em que trabalha. Do ponto de vista tecnológico, a todo o momento surgem novos produtos, equipamentos e técnicas construtivas. Por outro lado, como o número de obras cresceu muito em relação ao passado, faltam profissionais experientes, capazes de fazer a gestão dos empreendimentos. Na habitação popular, por exemplo, o padrão dominante há alguns anos atrás era o da alvenaria com bloco cerâmico. Hoje cerca de 80% do mercado trabalha com alvenaria estrutural racionalizada em blocos de concreto e com a paredes de concreto. É interessante observar que esses dois sistemas demandam competências distintas em termos de produtividade, relação com outros subsistemas da obra, necessidade de qualificação de mão-de-obra e gestão. Em resumo, a questão chave é combinar a busca contínua por atualização profissional e por novas competências, com a capacidade de alcançar resultados efetivos para as empresas.

Um bom profissional deve se capacitar também para a gestão de riscos. Saiba como evitar problemas.
Botão Site

Compartilhe esta matéria

Veja também

X