Mapa da Obra - E-book

Etapas de obra: da fundação ao acabamento

Quero baixar!

Publicado por Carla Rocha em 07/04/2021Tipos de concreto: qual escolher para sua obra
O concreto pode ser classificado como duas opções: estrutural e não estrutural. Créditos: Shutterstock

Tipos de concreto: qual escolher para sua obra

São necessários alguns testes com o objetivo de atestar a qualidade do concreto

O concreto é a principal matéria-prima utilizada atualmente na construção civil brasileira, tendo em sua composição uma mistura de cimento, agregados graúdos (pedras), agregados miúdos (areias naturais ou artificiais), água, aditivos e adições (sílica ativa). Além disso, ele pode conter também aditivos e adições que são inseridos na mistura de concreto para melhorar o desempenho do concreto, que surgiu a partir da necessidade de características especiais para o concreto de acordo com cada tipo de obra.

De acordo com Heloísa Cristina Fernandes Cordon, professora de Engenharia Civil do Instituto Mauá de Tecnologia, são necessários alguns testes com o objetivo de atestar a qualidade do concreto e entreos principais, estão o teste de abatimento no estado fresco, onde uma amostra do material recém-misturado é moldada em uma forma tronco cônica e, após sua retirada, mede-se o quanto o material se “abateu” em relação à sua forma inicial. “Este teste ajuda a avaliar a funcionalidade do material; e o teste de resistência à compressão, que mede a resistência que o material apresenta após seu endurecimento, normalmente, realizado com 28 dias”, ressalta.

Tipos de concretos mais utilizados nas construções brasileiras

O concreto pode ser classificado em duas opções: estrutural e não estrutural. O primeiro, geralmente, é utilizado na estrutura de uma construção, quando existe a necessidade de uma resistência maior, ou seja, para manter uma construção de pé. Já o segundo, como o concreto magro, que costuma ser utilizado nas demais partes não estruturais de um prédio ou casa, possui uma resistência menor.

1 – Concreto convencional: mistura de cimento Portland, areia, brita, água e poucos aditivos para melhoria de características do estado fresco (trabalhabilidade e tempo de pega), utilizado para obras comuns de residências e edifícios;

2 – Concreto bombeável: é uma variação do concreto convencional, porém com maior fluidez (proporcionada pelo uso de aditivos e redução do tamanho dos agregados) para permitir que seja bombeado e lançado a grandes alturas e distâncias. Indicado para concretagem de estruturas de edifícios altos ou locais de difícil acesso.

3 – Concreto armado: combinação do concreto convencional (ou bombeado) com a incorporação de barras de armadura de aço para a compensação e aumento da resistência à tração e à flexão. Utilizado em praticamente todas as estruturas de concreto.

4 – Concreto protendido: parecido com o concreto armado, mas as barras de aço são submetidas a uma pré-tensão antes da concretagem. Indicado para estruturas de grandes vãos, como lajes e vigas de edifícios, galpões industriais, viadutos e pontes.

5 – Concreto pré-fabricado: elementos de concreto produzidos em uma indústria, como blocos, pavers, vigas e pilares. Utilizado em construções modulares.

6 – Concreto de alta resistência: utiliza como materiais os mesmos do concreto convencional, porém sua dosagem é mais elaborada, garantindo o maior fechamento dos poros internos e, consequente, diminuição da quantidade de água e aumento da resistência. Permite a execução de estruturas mais esbeltas, aumentando, por exemplo, a área de garagem em edifícios.

7 – Concreto projetado: o concreto é bombeado e projetado a altas velocidades, formando um spray para recobrir superfícies como taludes de estradas e reforçar túneis.

8 – Concreto rolado: aplicado em pisos de estacionamentos e pavimentação de rodovias, é compactado por rolos, por isso o nome.

9 – Concreto autoadensável: produzido de forma a apresentar alta fluidez, sem que ocorra segregação, permitindo uma aplicação mais fácil (o concreto escoa sozinho para preencher as formas) e rápida. Pode ser utilizado em estruturas convencionais e paredes de concreto.

Bônus: principais cuidados durante a aplicação e a manutenção

Ainda de acordo com a docente, a aplicação do concreto deve-se sempre respeitar o tempo de início de pega do material, que é o tempo hábil para se manusear o concreto antes do início das reações químicas de hidratação do cimento. “Além disso, deve-se sempre utilizar formas em bom estado, com uma fina camada de desmoldante, para permitir a desforma adequada após a cura inicial”, ressalta. Após a desmoldagem, o material deve ser frequentemente umedecido nos primeiros 7 dias, para evitar o aparecimento de fissuras. “A manutenção deve ser constante, por inspeção visual dos elementos de concreto e verificação do aparecimento de rachaduras ou manchas de ferrugem”, orienta.

Normas de especificação para concreto:

ABNT NBR 6118:2014 – Estruturas de Concreto Armado – Procedimento;

ABNT NBR 9062:2017 – Projeto e execução de estruturas de concreto pré-moldado;

ABNT NBR 14931:2004 – Execução de estruturas de concreto – Procedimento.

Quer saber como utilizar o concreto usinado em sua obra? Clique aqui e descubra!

Compartilhe esta matéria

Da fundação ao acabamento: conheça todas as etapas!

Quero ler!

Mapa da Obra - E-book
X