Publicado em 19/08/2014Sobre os skates

Sobre os skates

Espaço público para manobras radicais tem design de fachada para receber grafites e pichações

Kavel K é uma instalação situada em terreno triangular, “encaixotado” por uma via lateral e uma linha de trem. A ideia é atender jovens skatistas, praticantes de ciclismo e outros esportes radicais. A beleza do espaço, todo em concreto, tem atraído grupo de todas as idades, e feito dele ponto de referência urbana para Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda.

Parte de um plano para a cidade iniciado na década de 1990, a nova pista de skate tem no concreto elemento crucial para o desenvolvimento do projeto: um prédio central, com fachada em placas pré-moldadas impressas a partir de uma padronagem que imita o braile – linguagem táctil para cegos – funde-se às pistas curvas e profundas, produzidas com jateamento do concreto para aderência vertical, além de platôs desenvolvidos em blocos pré-moldados, resistentes e também de concreto.

O cinza é a cor de fundo, animada por mesas de ping-pong, assentos e apoios em acrílico transparente e colorido. Há ainda quadra poliesportiva, cujo piso de alta durabilidade também pediu placas pré-moldadas em concreto.

“Achamos que era importante desenvolver um prédio que se apresentasse como elemento único, conexo e conjunto com as instalações do entorno – a pista de skate e a quadra poliesportiva”, conta Hannah Schubert, do grupo Carve, que assina o layout. O reduzido terreno foi dividido em três zonas integradas – skate, sportes e centro de atendimento e convivência jovem, este último bem ao centro do lote, em volumetria cúbida que origina uma área aberta frontal, e outra posterior ao bloco.

À frente está a atração principal – uma pista de skate sobre elevação de meio metro (em relação ao nível do solo), aprofundada em sulcos para manobras radicais. A ideia de elevar o degrau faz das quinas e cantos assentos para o público visitante, além de impedir que skatistas adentrem a pista manobrando. Nos fundos do terreno, a quadra poliesportiva está enterrada.

“Sabíamos, desde o início, que com o tempo a fachada do prédio central seria pintada por grafites e pichações. Então nos antecipamos ao “problema”, com design de fachada pensado para receber essa arte de rua, ao invés de impedí-la. Providenciamos placas impressas em braile, a partir da inserção de tubos maciços de seção circular sobre as fôrmas, antes da concretagem. Com as pichações, e a subsequente limpeza das paredes externas de concreto, seus ‘buracos’ manteriam as cores dos grafites, registrando a história do uso deste ponto de encontro jovem, ao longo dos anos.

Garagens devem ter planicidade e resistência para suportar peso e tráfego de veículos. Confira dicas de planejamento e de execução.Botão Site
  • Kavel K é uma instalação situada em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda, para atender jovens skatistas, praticantes de ciclismo e outros esportes radicais. Prevalece o uso do concreto, que é armado, bombeado ou pré-moldado, de acordo com a função e uso de cada espaço. Projeto do grupo Carve – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • Os platôs da pista de skate foram executados em concreto armado, virado em canteiro. Kavel K é uma instalação situada em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda, para atender jovens skatistas, praticantes de ciclismo e outros esportes radicais. Projeto do grupo Carve – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • Os sulcos da pista de skate foram executados em concreto bombeado e jateado, de maior aderência e resistência, para não escorrer durante a cura. O resultado liso, tanto nas transições verticais quanto nos platôs, é imprescindível à prática de manobras com skate e bike. Kavel K é uma instalação situada em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda. Projeto do grupo Carve – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • Em um terreno triangular, encaixotado por uma via lateral e uma linha de trem, está o Kavel K, instalação situada em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda, para atender jovens skatistas, praticantes de ciclismo e outros esportes radicais. Prevalece o uso do concreto, que é armado, projetado ou pré-moldado, de acordo com a função e uso de cada espaço. Projeto do grupo Carve – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • Ao redor da pista de skate e do edifício central, o piso é feito em peças intertravadas, de concreto pré-moldado. Os degraus de 50 cm de altura que emolduram a pista são de blocos de concreto cúbicos, também pré-moldados, e servem como assento para usuários. Projeto do grupo Carve, o Kavel K fica em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • Ao redor do prédio central, cujas fachadas estampam padronagem táctil e impressa em concreto pré-moldado que imita o braile (linguagem para cegos), está o piso intertravado, também de concreto. Para quebrar o cinza e produzir ambiente mais juvenil, foram desenvolvidos cubos e mesas em acrílico nas cores rosa, verde e amarelo. O espaço de convivência também conta com mesa acrílica para ping-pong. Projeto do grupo Carve, o Kavel K fica em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • Atrás do prédio central do Kavel K está uma quadra poliesportiva, com piso resistente em placas pré-moldadas de concreto armado. Arquitetura e design do grupo Carve, para o município de Haia, na Holanda – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • A quadra poliesportiva fica protegida por rede sustentada por pilares nas cores verde, amarelo e rosa. São as cores de cubos e mesas em acrílico, desenvolvidos para quebrar o cinza de fundo, e produzir ambiente mais juvenil. Projeto do grupo Carve, o Kavel K fica em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • Para quebrar o cinza e produzir ambiente mais juvenil, foram desenvolvidos cubos e mesas em acrílico nas cores rosa, verde e amarelo. O espaço de convivência também conta com mesa acrílica para ping-pong. Projeto do grupo Carve, o Kavel K fica em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda – Fotos: Carve/Marleen Beek
  • A fachada do prédio central do Kavel K foi feita em elementos pré-fabricados de concreto que imprimem um padrão táctil, parecido com o braile. Sua produção se dá pela inserção de tubos maciços de seção circular sobre as fôrmas, antes de concretar os pré-moldados. Com as esperadas pichações dos skatistas, e subsequentes limpezas das paredes externas em relevo, seus “buracos” manteriam as cores dos grafites. As fachadas funcionam como telas em branco que registram, em cores, a história de uso do ponto de encontro jovem. Projeto do grupo Carve, o Kavel K fica em Leidschenveen-Ypenburg, na Haia, Holanda – Fotos: Carve/Marleen Beek
Compartilhe esta matéria

Veja também

X