Publicado em 18/01/2017Revestimento cerâmico em fachadas: boas práticas
Aplicação da placa cerâmica sobre os cordões de argamassaCréditos: Carlos Magno/Votorantim Cimentos

Revestimento cerâmico em fachadas: boas práticas

Conheça as características que determinam a especificação da argamassa ideal e os procedimentos para aplicação dos materiais

O primeiro passo para assentar revestimento cerâmico em fachadas com qualidade consiste na especificação da argamassa colante. A escolha varia em função do tipo da cerâmica que será aplicada, sua dimensão, tipo do substrato que irá receber o revestimento e altura do edifício.

As formas de aplicação de revestimento cerâmico em fachadas variam. Para assentar uma placa cerâmica pequena em um prédio de um pavimento, por exemplo, não é preciso uma argamassa de alto desempenho, podendo ser utilizada a AC II. Já para a fixação de uma pastilha de porcelana, que apresenta menor absorção de água, é necessário recorrer a uma argamassa que promova ancoragem química, como a AC III.

Em um edifício com mais pavimentos, a aplicação de porcelanatos maiores do que as pastilhas requer argamassas especiais, como AC III D/E. “É uma argamassa de alta performance com excelente adesividade, flexibilidade, tempo em aberto estendido e baixo deslizamento”, explica Carlos Magno de Farias, consultor técnico da Votorantim Cimentos.

Saiba como aplicar revestimento cerâmico em fachadas

Preparo da base                             

Os procedimentos para aplicação do revestimento cerâmico devem atender ao projeto de fachada, documento que prevê a geometria e juntas do assentamento, além de determinar a adequada especificação dos materiais. “O projeto de fachada evita patologias na obra e colabora para reduzir desperdícios no canteiro”, acrescenta Farias.

Para aplicação da argamassa, a superfície do edifício deve ser plana e livre de qualquer tipo de sujeira, como engobe, óleo, tinta, seladores de concreto, agentes de cura, entre outros. Em climas secos e temperaturas altas, é necessário umedecer o substrato.

Aplicação da Argamassa

A argamassa deve ser aplicada no substrato com uma desempenadeira metálica dentada, cujo tamanho dos dentes seja proporcional à dimensão das cerâmicas. “Peças maiores que 900 cm² (30 x 30 cm) necessitam que o assentamento seja realizado em dupla colagem, onde se aplica a argamassa colante no substrato e no verso da peça”, pontua Farias.

Confira abaixo a relação entre a dimensão das peças e o tamanho dos dentes:

  • Peças de até 400 cm² (20 x 20 cm) – utilizar dentes de 6 x 6 mm
  • Peças entre 400 cm² e 900 cm² (30 x 30 cm) – utilizar dentes de 8 x 8 mm
  • Peças maiores que 900 cm² – utilizar dentes de 8 x 8 mm ou semicirculares de 10 mm

Controle de qualidade

É recomendado que a aplicação da argamassa no substrato do edifício seja feita em panos de 2 m², valor que pode ser reduzido caso o aplicador perceba uma redução do tempo em aberto da argamassa.

Para assegurar a perfeita aderência do revestimento cerâmico, retire periodicamente uma peça durante a aplicação e verifique a quantidade de argamassa existente no seu verso. “Caso haja ausência de argamassa em partes da peça, remova-a e aplique argamassa fresca novamente”, orienta Farias.

Para medir a capacidade do revestimento de resistir às tensões atuantes na interface com o substrato, utiliza-se o equipamento dinamômetro de tração.

Aplicação de produtos de rejuntamento adequados evita o surgimento de fungos em ambientes úmidos

 

Compartilhe esta matéria

Veja também

X