Publicado por Carla Rocha em 07/10/2020Prevenção de patologias na execução de revestimento
Um dos segredos é seguir o projeto de forma correta para evitar a formação de patologias.Créditos: Shutterstock

Prevenção de patologias na execução de revestimento

Se o projeto for seguido adequadamente é possível evitar problemas

 

Entre os problemas que causam mais frustrações entre engenheiros e profissionais ligados à construção civil estão as patologias, que podem ser causadas por diversos fatores e podem trazer problemas construtivos e financeiros ao longo prazo no ciclo de vida de uma edificação. Pensando em elucidar tal problema e trazer dicas práticas para evitar as patologias, o tema foi abordado durante  uma live do Mapa da Obra e trouxe profissionais como Elton Bauer, professor de engenharia da Universidade de Brasília e Helena Carasek, pró-reitora adjunta de Pesquisa e Inovação da Universidade Federal de Goiás, que apresentaram algumas dicas para minimizar os efeitos das patologias, principalmente em fachadas.


Para Roberto Ney, consultor de Desenvolvimento Técnico de Mercado (DTM) da Votorantim Cimentos, que também participou da live, quando se analisa a patologia de revestimentos se pode dividi-la em duas áreas: uma delas é a fachada, que já tem uma normatização com relação à argamassa e aos limites de expansão por umidade. “Se um bom projeto de fachadas for desenhado e seguido adequadamente é possível evitar problemas nesse sentido”, destaca.


Para Elton Bauer, Professor de engenharia da Universidade de Brasília, quando se faz um projeto de revestimento todos os materiais devem ser pensados e selecionados, além de controlados para que tenhamos sucesso em nossa obra e no resultado  final. “Se houver alguma falha em qualquer uma das etapas como a questão de  geometria e planeza das placas cerâmicas ou um bom controle, já vou ter falhas no processo de assentamento da placa na argamassa, o que foge da especificidades correta conforme a técnica demanda”, ressalta.  Por isso, é importante ter atenção para algumas especificações como a faixa de absorção de água ou até mesmo, a troca de materiais, é possível que surjam patologias, falhas de degradação e outros defeitos. “Outro índice importante é a expansão por umidade que é um fenômeno que gera descolamento cerâmico por não se prender a esse valor. Creio que são esses pontos os mais relevantes e que podem influenciar no surgimento das patologias”, complementa.


Já de acordo com Helena Carasek, Pró-Reitora Adjunta de Pesquisa e inovação na Universidade Federal de Goiás, o que vai influenciar nas manifestações patológicas são todos os materiais envolvidos no sistema de revestimento quanto a execução correta. “A placa cerâmica realmente tem uma importância muito grande e por isso a  especificação e conhecimento dos materiais faz toda a diferença”, ressalta. Outro problema que pode ocorrer é a umidade por expansão ter aumentado muito e essa é uma questão bem delicada e relevante, por isso, é importante seguir todas as normas de especificação: “Caso não seja seguida, pode gerar descolamentos generalizados que, algumas vezes, pode até causar acidentes graves”, complementa.

Principais cuidados com a argamassa de rejunte


Segundo Helena, a principal função da argamassa de rejunte e uma das funções das juntas de assentamento é absorver um pouco das deformações que podem acontecer no  conjunto de placas. Logo, quando se coloca uma pasta de cimento rígida na aplicação, serão excluídas algumas das capacidades como vedação e não existirá uma trabalhabilidade adequada. Existe uma série de características e propriedades da argamassa que são muito importantes para um rejuntamento e é fundamental não negligenciar nenhuma delas. “O produto industrializado onde se tem cimento, agregado e uma série de aditivos como antimofo, antifungos e polímeros, que vão melhorar as características do material. Então, o risco de patologias em se utilizar outro material que não é a argamassa para rejunte pode gerar algumas deformações”, orienta.


Já Elton destaca que edifício submetido aos agentes de degradação como sol, chuva, vento etc podem sofrer com patologias como o descolamento cerâmico por falha de rejunte, então, quando  é feita uma avaliação de um edifício e são encontradas fissuras, juntas danificadas, com rejunte expulso, isso é o precursor imediato do descolamento de rejunte cerâmico. “Quando se faz a limpeza de fachadas é fundamental fazer também a correção das juntas, reparando o rejunte onde ele se encontra danificado. Isso é muito importante para evitar a evolução para o agravamento das patologias”, ressalta o docente. Além disso, é muito importante se ter em mente que com o advento da Norma de Desempenho em termos de projeto. É importante especificar a vida útil que deve ser correspondida com a norma. 

Entender as normas construtivas é fundamental para evitar problemas desde projetos à execução. Confira a nossa série especial “Norma Comentada” e baixe o e-book gratuitamente: http://conteudo.mapadaobra.com.br/Dx5ol0zFs8

 

 

Compartilhe esta matéria

Veja também

X