Publicado em 29/09/2016Painéis pré-fabricados de concreto garantem velocidade às obras
Painéis pré-fabricados arquitetônicos de concreto (PPAC) podem ser aproveitados em fachadasCréditos: JFs Pic Factory/shutterstock.com

Painéis pré-fabricados de concreto garantem velocidade às obras

Com revestimento já incorporado, painéis pré-fabricados são entregues no canteiro de obras pronto para serem instalados

Sistema relativamente novo na construção civil nacional, os painéis pré-fabricados arquitetônicos de concreto (PPAC) começaram a ser aproveitados nas fachadas de edifícios brasileiros somente no início dos anos 2000. “A solução é considerada inovadora, porém ainda não tem uma norma técnica própria, com as determinações de projeto, fabricação ou montagem”, afirma a engenheira Luciana Oliveira, pesquisadora do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

O controle de qualidade das peças é realizado pelos próprios fornecedores, cabendo ao comprador (projetista, construtor e/ou incorporador) solicitar os relatórios que comprovam que a produção é executada de maneira adequada.

Os painéis são fabricados em fôrmas metálicas, de EPS (Poliestireno Expandido) ou madeira. Sobre essas estruturas, são montadas as armaduras e, na sequência, é feito o lançamento do concreto, geralmente, dividido em duas camadas: uma cinza, na qual são posicionadas as armaduras, e outra feita de cimento branco, que recebe o acabamento. Eventualmente, o sistema pode receber materiais que melhorem o seu desempenho termoacústico.

Prontos para instalação

Os painéis pré-fabricados apresentam como uma de suas principais vantagens o acabamento já incorporado, ou seja, chegam ao canteiro totalmente prontos para serem instalados. A aparência do material pode ser modificada na etapa de moldagem, por meio da adição de pigmentos no concreto, ou na fase de pós-moldagem, com a fixação de placas de rochas ou cerâmica. Por ser executado em indústrias, o produto é considerado pré-fabricado, e não pré-moldado.

A instalação dos painéis não é difícil e acontece por meio da conexão de inserts metálicos, fixados tanto nas peças quanto na estrutura da edificação. “Cuidados com alinhamentos de montagem, tolerâncias e seleção de equipamentos de transporte são fundamentais”, aponta Oliveira.

As juntas entre os painéis devem apresentar a maior estanqueidade possível, porém precisam apresentar espaço suficiente para acomodar a movimentação das placas. “Na maioria das vezes, as falhas nas juntas não acontecem por serem muito largas, e sim pela falta da folga necessária”, detalha a engenheira. As larguras máximas e mínimas são determinadas em função do cálculo de movimentações do painel.

Especificação

A especificação dos PPAC necessita de projetos arquitetônicos e estruturais concebidos já levando em consideração o uso do material. “Além disso, a compatibilização entre o projeto do edifício e a fabricação dos painéis é essencial. Em muitos casos, o fornecedor da solução é o responsável por essa adequação”, destaca Oliveira.

A solução garante aumento de velocidade na execução da obra quando comparada às fachadas de alvenaria e ao revestimento de argamassa. Por isso, é indicada para empreendimentos comerciais e industriais que precisam ser entregues rapidamente, de modo a garantir o retorno do investimento. “O material é bastante usado em hotéis, por exemplo”, exemplifica a especialista.

Manutenção

O sistema necessita de poucas manutenções, programadas em função do tipo de acabamento e das características climáticas do local onde se encontra a edificação. Partículas de poluição, sujeiras ou fungos combinados com o vento e a chuva podem resultar no surgimento de manchas nos painéis. Para evitar esse problema, devem ser previstos no projeto detalhes construtivos que reduzam ao mínimo o escorrimento de água da chuva pela fachada.

Outro detalhe da solução que necessita de atenção especial é a condição dos inserts metálicos. Caso surjam sinais de oxidação, são recomendadas intervenções para evitar que as peças se desprendam. “Devido ao potencial de industrialização, o material proporciona aspecto visual superior para a fachada das edificações. Porém, pode apresentar desvantagens quando não é bem especificado ou projetado”, finaliza Oliveira.

Leia também: Entenda a diferença entre pré-moldado e pré-fabricado de concreto.

Compartilhe esta matéria

Veja também

X