Votorantim Cimentos
Publicado em 16/08/2017Calcário agrícola é aposta da Votorantim Cimentos
Em 2016, a Votorantim produziu 2,8 milhões de toneladas de calcário agrícola e espera chegar a 3,2 milhões de toneladas neste ano, volume que pretende dobrar até 2021

Calcário agrícola é aposta da Votorantim Cimentos

Dependendo do manejo do solo e da adubação utilizados, as plantas podem atingir níveis de toxidade. O calcário agrícola neutraliza o alumínio tóxico e aumenta a eficiência dos fertilizantes

Neste ano, a Votorantim Cimentos reforça a diversificação do seu portfólio com o lançamento da família de concretos especiais Hi-Mix, a Liga para Massa Itaú e o novo Rejuntamento Flexível. E ainda tem mais: investe na ampliação da produção de calcário agrícola no País.

Além da marca Calcário Itaú, da Votorantim Cimentos, a empresa comercializa a marca Zincal, da Votorantim Metais, colocando no mercado produtos que são referência de alta qualidade, com alto grau de pureza e que atende desde os pequenos produtores até as grandes empresas do setor agrícola.

Em 2016, a Votorantim produziu 2,8 milhões de toneladas de calcário agrícola e espera chegar a 3,2 milhões de toneladas neste ano, volume que pretende dobrar até 2021.

 

Investimento

A Votorantim planeja investir R$ 160 milhões, nos próximos 5 anos, na construção e adaptação de novas fábricas do insumo no País para aumentar sua participação neste mercado, hoje de 8%. São investimentos em linhas de calcário anexas à de cimento em suas unidades em Nobres (MT), Xambioá (TO), Primavera (PA) e Edealina (GO), e mais duas novas fábricas de calcário no Pará e na região do “Matopiba”. Os projetos terão capacidade mínima de 500 mil toneladas por ano.

Nas regiões norte e centro-oeste, a Votorantim atualmente atende ao mercado com quatro fábricas de calcário agrícola nas cidades de Nobres (MT), Xambioá (TO), Sobradinho (DF) e Paracatu (MG), com uma capacidade de produção instalada de 1,6 mil ton/ano nas quatro plantas.

Especificamente, a Votorantim Cimentos expandiu em 50% a capacidade produtiva da sua planta de calcário agrícola em Xambioá (TO). As obras foram concluídas em maio deste ano e irão proporcionar também um aumento da capacidade de estocagem da unidade.

Em Nobres (MT), a Votorantim Cimentos expandirá sua capacidade produtiva, em 2018, com mais uma nova linha de calcário agrícola dentro do complexo industrial, com investimentos de R$ 32 milhões. Somente neste ano, a Votorantim pretende produzir 3,2 milhões de toneladas de calcário.

 

Sustentabilidade

Diversas pesquisas agrícolas comprovam que os solos brasileiros, em especial no Cerrado, são, em sua maioria, muito ácidos e a correção de sua acidez pela calagem é imprescindível para se obter maior produtividade das culturas e, portanto, maior ganho econômico.

Segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola (Abracal), 40% dos produtores brasileiros, em geral, desconhecem a necessidade de corrigir o solo para obter maior produtividade.

Isto ocorre porque em solos com pH excessivamente ácido verifica-se a diminuição na disponibilidade de nutrientes como fósforo, cálcio, magnésio e potássio que, dependendo do manejo do solo e da adubação utilizados, podem atingir níveis de deficiência e toxidade às plantas. A calagem neutraliza o alumínio tóxico e aumenta a eficiência dos fertilizantes.

O manejo correto do solo, por meio da calagem, também oferece ganho ambiental, grande preocupação da agricultura moderna, e que inclui o conceito de usar sem depredar, de modo que os recursos naturais, especialmente o solo e a água, possam ser conservados para gerações futuras.

O uso de calcário agrícola melhora as propriedades físicas do solo, proporcionando melhor aeração e circulação de água, favorecendo o desenvolvimento das raízes.

 

Diferenciais do Calcário Agrícola Itaú 

De acordo com o gerente geral de Calcário Agrícola da Votorantim Cimentos, Laércio Solla, as características do Calcário Itaú, o processamento diferenciado, o torna mais puro e eficiente que os produtos comercializados no mercado.

Também resulta em um produto mais econômico, de reatividade mais rápida, além de maior absorção devido ao aumento de superfície de contato com o solo. “O Calcário Itaú proporciona melhor aproveitamento dos nutrientes pela planta, aumentando a qualidade dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros”, explica Laércio.

Para a Votorantim Cimentos, a produção do calcário agrícola, além de trazer benefícios para a produção do alimento no Brasil, proporciona sustentabilidade para empresa, uma vez que contribui para ganhos de produtividade e diminuição das emissões de CO² nas unidades industriais.

 

Procura por ideias sustentáveis para adotar em sua obra? Conheça o coprocessamento, uma estratégia que reduz a emissão de CO² na atmosfera.

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também

X