Publicado em 30/09/2014Móveis de concreto: arquitetos recriam peças antigas

Móveis de concreto: arquitetos recriam peças antigas

Marcelo Di Benedetto e Fernanda Barreto tranformam móveis do lixo em arte, só com o concreto

“O concreto é um material que me faz pensar na passagem da infância para a vida adulta. Somos maleáveis quando crianças e enrijecemos, petrificamos ao longo da vida”, assim o artista Marcelo Di Benedetto define as possibilidades de criação com o concreto nas suas obras. Com esse olhar, ele recria peças, proporciona-lhes um recomeço como móveis de concreto, madeira, entre outros.  Em sua série Desdobramentos – desenvolvida com a artista Fernanda Barreto, na Oficina Uma Uma –

Marcelo traz móveis encontrados em caçambas de São Paulo que ganham partes em concreto.  O efeito é lúdico e mescla design, arte e arquitetura. O resultado pôde ser visto durante o evento Design Weekend, na loja Carbono.

História por trás dos móveis de concreto

Foi a arquitetura que plantou em Marcelo o gosto pelo trabalho com concreto. Ele é arquiteto. Quando iniciou a sua graduação em artes plásticas, ele já trazia entre suas referências a estética do cimento. Seu pai, um engenheiro civil, também o ajudou a incorporar o potencial deste produto. Em suas pesquisas e até no trabalho de conclusão de curso, ele elabora a possibilidade de transpor memórias bidimensionais para o concreto – como pode ocorrer em painéis, lápides, ou nos quadros que desenvolve.

Hoje, Marcelo e Fernanda pesquisam as possibilidades tecnológicas do concreto. O objetivo principal é diminuir o peso das obras. A coleção Desdobramentos já foi comprada pelo designer Marcus Ferreira, da loja Carbono, e eles continuam elaborando outros móveis e objetos de decoração para a Oficina (que fica na Vila Madalena, em São Paulo).(Reportagem: Maura P. Albuquerque)

Conteúdo publicado em Casa.com.br

Confira os produtos mais vendidos da Votorantim Cimentos e entenda suas finalidades

Botão Site

  • Nas mãos de Marcelo de Benedetto e Fernanda Barreto, esta carteira universitária encontrada no lixo incorpora o lúdico ao mundo escolar. Batizada de Vaievem, ela foi uma das peças que ganhou mais repercussão durante o Design Weekend SP 2014 - Foto: Divulgação
  • Apesar de ser de concreto, o encosto – da cadeira Encosto – é convidativo. Criação de Marcelo di Benedetto e Fernanda Barreto - Foto: Divulgação
  • Nesta foto, você vê a parte traseira da cadeira Encosto. Ela tem 51 cm x 47 cm x 84 cm e, como os demais móveis, teve sua estrutura encontrada em um lixo - Foto: Divulgação
  • Uma gaiola com porta de concreto – aberta permanentemente. Obra conceitual de Marcelo di Benedetto e Fernanda Barreto. Suas medidas são 41 cm x 28 cm x 35 cm - Foto: Divulgação
  • Unindo dois móveis, Marcelo di Benedetto criou uma cadeira que se chama Gaveta. Ela tem 37 cm x 37 cm x 77 cm - Foto: Divulgação
  • Aqui, a cadeira gaveta tem encosto vazio em outro ângulo - Foto: Divulgação
  • O concreto transformou as duas cadeiras encontradas no lixo em uma namoradeira. A peça se chama De duas uma e tem 68 cm x 44 x cm 91 cm - Foto: Divulgação
  • A mesa Kamaiurá tem tampo de concreto e fica encostada na parede. Medidas: 87 cm x 60 cm x 30 cm - Foto: Divulgação
  • Delicada, mas resistente, essa mesa de centro tem pernas de madeira e tampo de concreto - Foto: Divulgação
  • A mesa de centro tem ainda um espelho no tampo - Foto: Divulgação
  • Transformar imagens planas em recordações 3D é uma das propostas dos quadros de Marcelo Di Benedetto - Foto: Divulgação
Compartilhe esta matéria

Veja também

X