Publicado em 03/10/2015Monte seu negócio: seleção de funcionários

Monte seu negócio: seleção de funcionários

Quinta reportagem da série ensina quais sãos os critérios para escolher os funcionários

É muito difícil abrir uma loja de material de construção e fazer tudo sozinho – compras, administração de contas e estoque, balanços, gestão e organização do espaço da revenda, e ainda ter tempo de sorrir para o cliente. Por isso, por menor que seja o novo ponto de venda, antes de abrir as portas ao público é preciso pensar no que poderá ficar sob a responsabilidade do microemprensário, e quais funções ele vai ter que delegar –  realizando, portanto, uma seleção de funcionários.

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a quantidade de funcionários a contratar está relacionada ao porte do empreendimento. Mais que isso, também é preciso saber que tipo de funcionário vai contratar, e quais serão as qualificações necessárias. De início, a dica é contratar uma equipe bastante enxuta.

Cargos na loja
Pequenos revendedores de materiais de construção declararam ao Sebrae que é possível começar o empreendimento com apenas quatro pessoas. Uma delas será o administrador, ou gerente. O comum é que essas funções sejam exercidas pelo próprio dono da loja, se ele tiver qualificação ou vontade de se capacitar para lidar com todos os tipos de imprevistos – de clientes insatisfeitos a dificuldades financeiras e problemas com fornecedores.

O administrador também atua preventivamente: suas ferramentas são o raciocínio lógico e crítico, e conhecimentos sobre gestão empresarial. Além de obter mercadorias a custos baixos e prazos adequados ao seu fluxo de caixa, quando fizer compras para a loja ele deverá observar quais mercadorias vendem mais, quais são perecíveis e quais podem “encalhar” no estoque, para não gastar com itens desnecessários. Por outro lado, peça-chave na revenda são os vendedores, ou balconistas. O recomendado é ter dois, e a escolha desses profissionais precisa ser feita com muito critério e responsabilidade – eles serão a “cara” do empreendimento, ao atender clientes e fidelizá-los. Por isso, o Sebrae destaca que uma seleção de funcionários bem feita e um bom ambiente de trabalho terão reflexo direto na imagem da loja aos olhos de todos.

Mas o que esses vendedores deverão ter? No currículo, e na entrevista, ele precisa mostrar conhecimento sobre produtos para a construção civil, habilidades de relacionamento interpessoal e de negociação com o cliente, proatividade, cortesia e educação, com muita inteligência emocional para lidar com possíveis conflitos.

Já a função de caixa pode ser dividida com o gerente. O funcionário terá conhecimentos matemáticos e de contabilidade básica, raciocínio lógico minimamente desenvolvido e, principalmente, deverá ser pessoa de muita confiança.

Para qualquer um desses profissionais (gerente, balconistas ou caixa), adotar uma política de incentivos e benefícios financeiros ajudará o novo lojista a segurar seus empregados – saiba, antes de começar, que o grande “drama” do comércio varejista é a alta rotatividade de pessoal. Em outras palavras, colaboradores não permanecem no posto por muito tempo. Assim, promover o bom relacionamento entre funcionários e um espaço receptivo de trabalho dá maior segurança à clientela e reduz custos, porque o empreendedor evitará processos seletivos de novos funcionários, treinamentos e demissões sucessivas.

Primeira impressão
A apresentação pessoal é fator critico para consolidar a imagem da empresa junto ao cliente. Limpeza impecável, uso de uniformes, higiene e asseio constituem elementos que devem ser valorizados por todos os empregados. O microempresário também não deve se privar de uma boa apresentação, sem deixar de se atualizar constantemente sobre técnicas de gestão e marketing, participar de seminários, congressos, e buscar formação continuada – há inúmeros cursos, inclusive online, do próprio Sebrae.

Por fim, ao determinar os salários e direitos trabalhistas dos funcionários, o dono da loja tem de estar atento à Convenção Coletiva do Sindicato do Comércio Atacadista e Varejista de Material de Construção. É este documento que baliza o mínimo para valores em cada Estado.

Se for necessário, o Sebrae sempre poderá ser consultado, tanto para dar orientações sobre treinamento e seleção de funcionários, como para ensinar métodos adequados de gestão de recursos humanos.

Quer aprender a calcular orçamento de novos produtos? A próxima reportagem da série “Monte seu Negócio” ensina como.Botão Site

Compartilhe esta matéria

Veja também

X