Publicado em 02/03/2013Mão de obra na construção civil deve ser valorizada

Mão de obra na construção civil deve ser valorizada

Com a alta demanda por mão de obra, atenção à atração e retenção dos profissionais é fundamental

A indústria da construção civil deve fechar o ano de 2011 com um crescimento de 4,8% em relação a 2010, segundo projeção da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil), e continuar em alta em 2012, independente da crise econômica global, com epicentro nos países europeus. Mas essas previsões otimistas são acompanhadas por obstáculos relacionados à mão de obra na construção civil: a escassez de profissionais e a alta rotatividade. De acordo com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), cerca de 90% das empresas têm dificuldades para contratar trabalhadores de nível básico, como pedreiros e serventes, enquanto a maior demanda por profissionais requer estratégias capazes de reter os qualificados. Esses são fatores que refletem diretamente no custo final das obras.

De janeiro a agosto de 2011, segundo dados da CBIC, a despesa com mão de obra cresceu 10,22%, devido à maior demanda. Além da elevação dos salários, há os gastos gerados pela troca de funcionários nos canteiros: encargos trabalhistas, procura de novos operários, treinamentos, redução de produtividade, dentre outros.

Investimento em mão de obra na construção civil

O investimento em treinamento pode assegurar a formação de equipes capacitadas, mas a retenção depende de outras iniciativas voltadas à valorização da mão de obra. A competitividade exige iniciativas até há pouco tempo limitadas ao pessoal administrativo e que agora entram nos canteiros de obras, como a preocupação do relacionamento de engenheiros, mestres e encarregados com os operários, oferecimento de alimentação diferenciada, equipamentos de qualidade e programas de capacitação.

É importante manter toda a equipe comprometida em seguir um padrão ético para garantir as boas práticas da construção civil. Confira dez regras de ouro da ética profissional no setor.Botão Site

 

Compartilhe esta matéria

Veja também

X