Publicado em 25/08/2017Kits hidráulicos oferecem vantagens à obra
Os kits hidráulicos devem ser previstos em projeto, pois são produzidos em indústrias e, na maioria das vezes, já chegam prontos no canteiro de obras.Créditos: holbox / Shutterstock.com

Kits hidráulicos oferecem vantagens à obra

Aumento da produtividade, redução do desperdício de peças e qualidade garantida por testes e ensaios estão entre os principais pontos positivos

Associados à maior praticidade e produtividade no canteiro de obras, os kits hidráulicos industrializados vieram para ficar. Há diversos modelos no mercado: kit para condução de água fria em pias de cozinha ou banheiro; kit de chuveiro (tubos, conexões e registros); kit aquecedor (travessas ou quadros metálicos, registros e manifolds); kit chicote (tubos, conexões e acessórios como coifa, capa cromada ou canopla) e kit esgoto (estruturas metálicas que sustentam as tubulações). Eles são usados, principalmente, quando a repetição do sistema composto pelo kit é elevada. Por exemplo, em edifícios e conjuntos habitacionais.

Os tubos e as conexões são feitos com PEX, PRP, CPVC, PVC ou cobre. Quando são instalados em drywall, steel frame ou shaft, eles precisam ser fixados em uma estrutura de chapa galvanizada, que não é necessária quando a instalação é feita em alvenaria. “Em áreas molhadas, sobretudo em prédios de apartamentos, é comum forros de gesso ‘esconderem’ os kits de água quente, de água fria e de esgoto”, informa o Professor Doutor Francisco Ferreira Cardoso, especialista do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

 

Vantagens

Os kits são práticos porque são produzidos em indústrias e, na maioria das vezes, já chegam prontos ao canteiro de obras. Assim, oferecem muitas vantagens. Cardoso destaca o aumento da produtividade (a instalação é muito mais rápida, já que os sistemas são montados previamente), o desempenho assegurado por testes e rígido controle de qualidade, e a redução do desperdício de peças causado por erros na montagem e na instalação. “Não há desvantagem se forem especificados corretamente no projeto e se o controle for realizado adequadamente”, afirma o professor. Além disso, quando chegam prontos à obra, a necessidade de mão de obra é menor.

 

Especificação

Os kits hidráulicos devem ser previstos em projeto. Para Cardoso, um bom projeto deve indicar como devem ser feitas as verificações e os ensaios dos componentes, assim como a frequência, de forma a garantir o desempenho estabelecido pela NBR 15.575 – Edificações Habitacionais – Desempenho, da ABNT.

O projeto também deve conter a dimensão das tubulações, para que os pontos de consumo recebam o volume correto de água, e a forma de instalação.

Não existe uma norma técnica específica para kits hidráulicos, mas existem regras para os componentes do sistema, como a NBR 7.198 – Projeto e Execução de Instalações Prediais de Água Quente; a NBR 5.626 – Instalação Predial de Água Fria; e a NBR 8.160 – Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário – Projeto e Execução, todas da ABNT.

 

Identificação

Tão importante quanto a especificação é a identificação dos componentes do kit hidráulico. “Pode ser uma etiqueta metálica anexada ao kit informando o local de aplicação. Por exemplo, ‘kit de água fria e quente do chuveiro do banheiro 2 dos apartamentos com final 1 e 3’”, exemplifica Cardoso.

No caso de kits montados na obra, é importante que os componentes sejam reunidos numa embalagem para que nenhum item se perca. “No caso de kits embalados, a identificação deve constar da embalagem”, finaliza o professor da Poli-USP

 

A industrialização também pode ser útil em outras etapas de uma obra. É uma solução para quem precisa otimizar custos e tempo, além de ter resultados mais padronizados e racionalizados.

 

 

Compartilhe esta matéria

Veja também

X