Publicado em 02/06/2016Parede diafragma evita colapsos no terreno
Com a função de conter a terra em fundações profundas a parede diafragma tem o concreto como matéria-prima idealCréditos: Paulo Barros/e-Construmarket

Parede diafragma evita colapsos no terreno

Ideal para lotes de fácil escavação e fundações profundas, a solução é capaz de absorver significativos esforços de empuxo de solo e empuxo hidrostático

Solução de fundação empregada na estabilização de terrenos, as paredes diafragma são bastante comuns em cenários onde há deficiência de espaço. De rápida execução quando comparadas a outras opções tecnicamente compatíveis, elas têm capacidade de absorver significativos esforços de empuxo de solo e empuxo hidrostático.

“Estão presentes, por exemplo, na periferia do terreno com o objetivo de evitar o seu colapso”, afirma o engenheiro Luiz de Brito Prado Vieira, consultor especialista em pesquisa e desenvolvimento da Votorantim Cimentos.

Com a função de conter a terra em fundações profundas – aquelas que estão a mais de um andar no subsolo, o equivalente a três metros abaixo do solo –, a parede diafragma tem o concreto como matéria-prima ideal e é realizada com o equipamento clamshell.

“Ao mesmo tempo em que a cavidade vai ganhando forma, é inserida na abertura a lama bentonítica – uma mistura de água e determinado tipo de argila –, ou outros produtos similares desenvolvidos especialmente para a contenção do terreno, enquanto é feita a escavação, evitando colapsos”, explica o engenheiro. Sem essas substâncias, fazer uma escavação em alguns tipos de terreno seria como cavar na areia da praia. “Todo o material retirado acabaria caindo no buraco novamente”, complementa.

Depois que a escavação está estabilizada, o tubo tremonha é inserido na parede para a descarga do concreto. “A mistura vai enchendo a cavidade de baixo para cima e expulsando a lama bentonítica”, diz Vieira. Quando o concreto atinge a altura desejada, a concretagem é interrompida e a parede diafragma está pronta, porém ainda fresca. Após o endurecimento do concreto, é possível escavar o solo ao redor, pois a estrutura estará segurando o terreno. A dimensão da parede dependerá dos cálculos estruturais e do tipo de terreno.

Características do concreto

O concreto usado na execução dessa obra deve apresentar características específicas, como grande fluidez e capacidade de não segregar. “Concretos utilizados em paredes diafragma precisam de grande coesão, caso contrário, existe a possibilidade de a brita se separar da argamassa, o que prejudicará a homogeneidade do concreto. Isso acabará por impactar a resistência mecânica e a durabilidade da parede”, explica o profissional.

A ABNT NBR 6122 – Projeto e execução de fundações – apresenta detalhadamente os aspectos de qualidade exigidos. A norma indica que o concreto para fundações escavadas simples possua consumo acima de 300 kg para qualquer tipo de parede diafragma e FCK acima de 20 MPa.

Nas escavações profundas, a lama bentonítica exige que o concreto apresente qualidade superior, com consumo mínimo de 400 kg de cimento; abatimento de 22 + ou – 3 cm; fator água-cimento menor do que 0,6; FCK maior que 20 MPa; e teor de argamassa maior do que 55%. “Essas características garantem coesão suficiente para evitar a contaminação do concreto. Quanto mais profunda a escavação, maiores devem ser os cuidados”, destaca o engenheiro.

 

Você sabia?
Em fundações rasas, existe a possibilidade de realizar contenções com diversos tipos de paredes, que podem ser executadas usando-se concreto usinado, madeira ou metal.

 

Concreto gelado

Como o cimento apresenta reação exotérmica, que libera calor, as paredes diafragma profundas que contam com grandes volumes de concreto sofrem expansões volumétricas causadas por essa liberação calorífica, fenômeno que pode causar fissuras. “Dependendo do volume de concreto utilizado na peça, vale a pena utilizar cimento de baixo calor de hidratação e/ou gelo para combater a elevação da temperatura. Os bons calculistas muitas vezes realizam estudos térmicos para verificar se a geração de calor causará fissurações”, afirma Vieira.

Respondendo a essa necessidade, a Engemix – negócio de concreto da Votorantim Cimentos – desenvolveu o Concreto com Temperatura Programada, também denominado Concreto Gelado. O produto é dosado com adição de gelo em escamas ou nitrogênio líquido para reduzir a temperatura do concreto no momento do lançamento.

Tipos de solo

Embora a parede diafragma possa ser usada em qualquer tipo de solo, a solução pode se mostrar mais interessante em alguns cenários do que em outros. Em terrenos rochosos, por exemplo, é mais difícil e custoso executar o método construtivo, devendo ser adotados outros tipos de fundação. Já solos mais moles e de fácil escavação combinam bem com a parede diafragma.

Em caso da presença de lençol freático, a escavação é realizada normalmente, e a lama bentonítica impede que a água penetre na cavidade. “Se o lençol freático apresentar fluxo rápido, pode ser usado aditivo para elevar a coesão do concreto, à semelhança das misturas usadas em concretagens submersas”, finaliza Vieira.

Leia também: Tipos de fundação

Compartilhe esta matéria

Veja também

X