Votorantim Cimentos

Você busca conteúdos exclusivos sobre o mercado da construção civil?

Inscreva-se grátis e receba nossa newsletter.

Publicado em 24/01/2018Hidratação do cimento: a importância do tempo de reação
A cura está relacionada diretamente com a hidratação do cimentoCréditos: Shutterstock

Hidratação do cimento: a importância do tempo de reação

Quando o cimento não hidrata de forma adequada, o resultado pode ser trincas e fissuras aparentes

Para controlar a hidratação do cimento a fim de fazê-lo endurecer corretamente e as estruturas apresentarem o desempenho adequado, é necessário realizar o processo de cura, que tem como objetivo evitar a perda de água e possíveis surgimentos de fissuras, trincas, permeabilidade e o consequente ingresso de agentes agressivos.

Se a cura for bem executada, é possível aumentar a resistência do material em cerca de 30%, garantindo maior resistência e durabilidade, além de melhor aparência.

O endurecimento do concreto é resultado de um processo de hidratação, que é, exatamente, a reação química entre o cimento e a água. É por meio desta hidratação que acontece a reação química que forma os Silicatos de Cálcio Hidratados (C-S-H), são eles que influenciam na maioria das propriedades físicas e mecânicas do concreto em estado endurecido.

 

Tempo de cura e a hidratação do cimento

A velocidade da hidratação irá depender do tipo de cimento utilizado e a sua composição. Fatores externos ou intempéries, como vento, temperatura e umidade do ar também podem ter grande influência no resultado.

 

Quais os tipos de cura

A cura pode ser realizada através de quatro maneiras, porém, é necessário avaliar alguns aspectos, como: o tipo da obra, os recursos disponíveis, a velocidade da cura, entre outros.

1 – Cura úmida

É um dos processos mais simples e bastante utilizado no dia a dia das obras. É necessário manter a superfície úmida, seja na superfície ou totalmente imerso. Para este procedimento pode ser utilizado folhas de papelão, lonas plásticas ou apenas molhar o concreto com frequência.

2- Cura química

Feito através da aplicação de uma película sobre a superfície a fim de impedir a evaporação de água. Geralmente os materiais utilizados são: parafinas, ceras ou materiais acrílicos.

3- Cura térmica

Muito utilizadas em indústrias de elementos pré-fabricados/moldados, é considerada muito eficiente e tem como objetivo acelerar o processo. O processo consiste em submeter a peça de concreto a altas temperaturas e resfriando de forma planejada.

4- Cura ao ar/vapor do concreto

Aqui, não são tomados cuidados especiais para a hidratação que evitam a evaporação prematura da água.

 

Conheça o portfólio da Votorantim Cimentos, aqui.

 

A “pega” do concreto é o momento em que começam as reações químicas que resultam no endurecimento da mistura. Conheça o concreto com pega programada, que garante maior controle e planejamento!Botão Site

 

 

Compartilhe esta matéria

Quer receber notícias e dicas sobre construção civil?

Inscreva-se grátis e
receba nossa newsletter.

X