Votorantim Cimentos
Publicado em 31/07/2019Principais cuidados na fabricação de blocos de concreto
Blocos são divididos em três tipos de classe: A, B e C.Créditos: Shutterstock

Principais cuidados na fabricação de blocos de concreto

Para fabricar blocos de concreto de qualidade deve-se tomar alguns cuidados como a caracterização adequada dos agregados

A principal utilização dos blocos de concreto são voltados à construção de casas ou edificações, podendo serem aplicadas na forma de vedação ou na própria estrutura da edificação,. Os blocos têm tamanhos pré-definidos que se enquadram como: bloco inteiro (bloco predominante), meio bloco, blocos de amarração L e T (blocos para encontros de paredes), blocos compensadores e bloco tipo canaleta. 

Os blocos de concreto têm como principais insumos materiais como cimento, agregados e água, sendo que o pedrisco é o agregado responsável pelo acabamento das peças. Quando há a necessidade de um bloco aparente o pedrisco deverá ter em sua composição granulométrica valores de aproximadamente 6,3 de diâmetro máximo característico. Já para blocos que não necessitam de acabamento superficial, pode ser utilizado um pedrisco de diâmetro máximo de 9,5 mm.

De acordo com Raphael Baldusco, pesquisador do Laboratório de Materiais de Construção Civil do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), para fabricar blocos de concreto com qualidade, deve-se tomar alguns cuidados como a caracterização adequada dos agregados a serem utilizados; uso de equipamentos em bom estado para produzir misturas e blocos homogêneos; cura em ambiente com temperatura controlada. As diretrizes e critérios para definição do projeto de estruturas de concreto pré-moldado são desenvolvidas a partir dos elementos que são produzidos industrialmente ou em canteiro que estão estabelecidas no Brasil através da norma ABNT NBR 9062:2017, onde suas principais indicações de aplicação são para construção de residências, edifícios ou indústrias, galpões, muros, etc e são três as categorias de blocos para alvenaria. Confira:

 

Classe A, Blocos com função estrutural, acima de 8,0 MPa

Classe B, Blocos com função estrutural entre 4,0 e 8,0 MPa

Classe C, blocos com e sem função estrutural, de 3,0 a 4,0 MPa.

 

Para produzir blocos de concreto, os principais materiais são cimento, agregados naturais, como areia natural ou industrializada, pó de pedra e pedrisco. O pó de pedra também tem suas particularidades quando aplicado na produção dos blocos de concreto, pois com ele a mistura apresentará mais coesão, devido aos finos, e mais volume na argamassa, devido aos grãos médios. “Quando o pó de pedra apresentar quantidade balanceada de finos, ele terá uma combinação ideal com o pedrisco e a areia grossa, formando uma curva granulométrica ideal para os blocos”, destaca Raphael. Com relação ao cimento, pode ser utilizado qualquer tipo de cimento (CP II, CP III, CP IV e CP V-ARI), pois o que influenciará é o ambiente de aplicação do mesmo. Por exemplo, cimentos CP III e CP IV são mais indicados para aplicações em ambientes agressivos, enquanto que o CP V-ARI é bastante utilizado devido ao alcance de maiores resistências nos primeiros dias de idade. 

A utilização dos agregados tanto naturais quanto artificiais devem ser limpas, isentas de impurezas, como por exemplo, material pulverulento, torrões de argila, matéria orgânica (folhas, gravetos e resíduos vegetais), e deve possuir uma boa distribuição granulométrica, de modo que os grãos menores ocupem os vazios dos grãos maiores. Para o professor Idário Fernandes, engenheiro civil e técnico em edificações, os principais materiais para a produção de blocos de concreto de qualidade são o pó de pedra, a areia natural ou industrializada e o pedrisco de diâmetro máximo de 9,5 m e a proporção aproximada é de 50% de pó de pedra, 20% de areia e 30% de pedrisco “Estas proporções dependem dos recursos (máquinas e instalações) e dos materiais disponíveis na região” aponta o engenheiro, que também é especialista em blocos de concreto da Doutor Bloco. Entre os principais cuidados na fabricação de blocos de concreto, podemos citar:

 

  1. a) Empregar a mistura na umidade ótima de processamento, ou seja, aquela que produz a maior densidade da peça com boa produtividade do equipamento.
  2. b) Compactar a mistura até a densidade indicada para a categoria desejada, quais sejam: de 2000 a 2100 kg/m³ para blocos de vedação, de 2100 a 2200 kg/m³ para blocos estrutural de até 10 MPa e de 2200 a 2300 para blocos entre 10 e 20 MPa.
  3. c) Empregar bons aditivos redutores de água para controle da relação água/cimento;
  4. d) Curar devidamente o produto protegendo-o contra perda de umidade e de calor nas primeiras idades;

 

Outros tipos de agregados que podem ser utilizados são os agregados leves, como a argila expandida e a vermiculita para a produção de blocos de concreto leve, porém apenas para vedação, já que o uso desses materiais resultará em baixas resistência do bloco. 

 

Contribuíram para esta matéria: Raphael Baldusco, pesquisador do Laboratório de Materiais de Construção Civil do IPT e Idário Fernandes, engenheiro civil e técnico em edificações da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP).

 

Normas de especificação: 

NBR  6136 – Blocos vazados de concreto simples para alvenaria – especificações

NBR12118 –  Blocos vazados de concreto simples para alvenaria – métodos de ensaio

NBR 9062  – Projeto e execução de estruturas de concreto pré-moldado 

 

Quer entender a diferença entre pré-moldados e pré-fabricados de concreto? Confira:

https://www.mapadaobra.com.br/inovacao/pre-moldados-e-pre-fabricados/

 

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também

X