Votorantim Cimentos

Inscreva-se grátis e receba nossa newsletter.

Publicado em 14/01/2019Redução de Custos: Como comparar sistemas construtivos
Nos sistemas construtivos devem ser considerados valores com mão de obras e matéria primaCréditos: Shutterstock

Redução de Custos: Como comparar sistemas construtivos

Análise de sistemas deve considerar também o tempo de cronograma de obras

A etapa de projeto de qualquer obra envolve tomada de decisões que vão traçar todo o caminho da construção e determinar os resultados que podem ser alcançados com ela. Nesse primeiro passo, uma das necessidades é realizar comparativos de sistemas construtivos.

Comparar sistemas construtivos é fundamental para conseguir uma redução de custos de forma responsável, considerando todos os aspectos de cada um dos sistemas, como: durabilidade, desempenho, mão de obra e matéria-prima. Mas, antes de verificar esses itens, é necessário atestar que o sistema construtivo comparado siga os requisitos presentes nas suas Normas Regulamentadoras (NR), desenvolvidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Uma das recentes publicações normativas da ABNT é a NBR 15.575:2013 – Edificações Habitacionais. Essa norma define os requisitos de acústica, conforto e segurança que um empreendimento habitacional deve apresentar. Na realização do projeto é importante considerar essa norma para realizar a edificação e, consequentemente, atrelar os sistemas construtivos a essa necessidade.

Como analisar os sistemas

Ultimamente, o mercado de construção civil tem ganhado várias alternativas para os seus processos construtivos, incluindo o uso da tecnologia. Com a chegada de construtechs – startups especializadas no desenvolvimento de soluções para a construção civil – as novidades aumentaram.

No entanto, para utilizar qualquer tipo de solução é preciso ter garantias de que aquele sistema é válido e além de apresentar os resultados que ele expõe, também atende às questões relacionadas à segurança.

É preciso verificar com os fabricantes quais obras já implantaram o seu tipo de sistema a fim de conhecer modelos semelhantes e seus resultados. Também é preciso verificar minuciosamente as fichas técnicas dessas soluções e verificar se foram realizados testes para controle de qualidade.

Análise de custos

Em qualquer tipo de sistema que for implantado em uma obra é preciso considerar e analisar alguns aspectos, como:

– Será preciso gastar com alguma questão logística? Como construções provisórias no canteiro de obras?

– Será preciso comprar algum equipamento ou locar? Ferramentas?

– Será preciso instalar alguma fábrica para produzir o material?

– A mão de obra precisará ser capacitada ou já é especializada?

– Existe assistência técnica após a obra pronta? Esse custo está incluso?

O modelo mais comum realizado pelas construtoras é por meio de uma planilha que relaciona os custos de cada sistema construtivo considerando seu valor unitário e o valor da mão de obra.

Há que se considerar que, dependendo do tipo de sistema, ele pode reduzir o cronograma de obras e, consequentemente, diminuir os custos com mão de obra e contas básicas no canteiro de obras.

Também existem sistemas que, inicialmente, podem ter uma matéria prima mais cara, mas que podem gerar uma economia seja por proporcionar mais agilidade à obra ou por depender de menos mão de obra em canteiro. Por isso, fazer todas essas contas ajuda a tomar a decisão mais assertiva.

Quer saber mais sobre como economizar em suas obras? Acesse: https://www.mapadaobra.com.br/capacitacao/cinco-dicas-para-reduzir-os-custos-da-sua-obra-ou-reforma/

 

 

Compartilhe esta matéria

Busca conteúdos exclusivos sobre o mercado da construção civil?

Inscreva-se grátis e
receba nossa newsletter.

X