Votorantim Cimentos
Mapa da Obra - E-book

Guia de ferramentas para profissionais da obra

Quero baixar!

Publicado por Carla Rocha em 19/08/2021A importância do uso de EPIs nas obras
EPIs são importantes, pois garantem a manutenção da integridade física do trabalhador, uma vez que reduzem a exposição direta à agentes físicos.Créditos: Shutterstock

A importância do uso de EPIs nas obras

Equipamento garante a integridade dos trabalhadores em suas atividades

Segundo dados do Ministério do Trabalho, 40% dos acidentes de trabalho estão diretamente relacionados com quedas de alturas elevadas. E, segundo dados divulgados pela agência britânica Health and Safety Executive (HSE/2018), esse é um problema que não ocorre apenas no Brasil. De acordo com tais dados, são 121 acidentes envolvendo altura por dia em todo o mundo, sendo que 60% deles estão ligados a quedas de escadas, andaimes, plataformas de trabalho, bordas de telhados e telhados frágeis.


Para Ana Carolina Russo, professora de engenharia civil do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), os EPIs são importantes, pois garantem a manutenção da integridade física do trabalhador, uma vez que reduzem a exposição direta à agentes físicos (ex. ruído), químicos (ex. fumos) e biológicos (ex. vírus). “Todo EPI tem a sua importância e a escolha de quais equipamentos que deverão ser utilizados dependerá da avaliação de um especialista”, destaca. No entanto, os equipamentos de segurança mais comumente utilizados são: protetor auditivo, capacete, óculos de segurança e sapato de segurança. Ainda, de acordo com a docente, para garantir a integridade dos trabalhadores da obra em suas atividades é fundamental seguir alguns pontos:

1. Planejamento adequado das atividades;

2. Uso correto dos EPIs;

3. Cumprimento das NRs. Além da NR 6, a NR 18 (Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Construção Civil) e NR 35 (Trabalho em Altura);

4. Conscientização dos trabalhadores sobre os perigos envolvidos e necessidade de se protegerem, do treinamento e da fiscalização;

5. Limpeza e organização do canteiro de obra;

6. Realizar manutenções preventivas.

Orientações da NR 35 para uso de EPIs em altura

A Norma Regulamentadora 35, ou apenas NR 35, estabelece os requisitos mínimos de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução, em prol da segurança e saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com trabalhos em altura, assim como o Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR). Com relação aos equipamentos de segurança para a execução de tais atividades, as recomendações da norma são as seguintes:

EPI PARA PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS COM DIFERENÇA DE NÍVEL

(Alterado pela Portaria SIT n.º 292, de 08 de dezembro de 2011)

I.1 – Cinturão de segurança com dispositivo trava-queda

a) cinturão de segurança com dispositivo trava-queda para proteção do usuário contra quedas em operações com movimentação vertical ou horizontal.

I.2 – Cinturão de segurança com talabarte

a) cinturão de segurança com talabarte para proteção do usuário contra riscos de queda em trabalhos em altura;

b) cinturão de segurança com talabarte para proteção do usuário contra riscos de queda no posicionamento em trabalhos em altura.

Fonte: NR 6 – Equipamento de Proteção Individual – EPI

Rodrigo Trevisan, gerente de QSMS da Libercon, ressalta que a gestão de segurança do trabalho nos canteiros de obra abrange várias ações, compreendendo estudos e análises das situações de riscos, e as definições das medidas preventivas e de proteção. “E dentre as medidas de proteção, está a implementação do uso dos  Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que são equipamentos utilizados para proteger os colaboradores e minimizar a exposição dos mesmos aos agentes nocivos existentes nos canteiros de obra”, ressalta.


Sendo assim, o uso dos EPIs, permite que a execução dos trabalhos seja realizada de forma mais segura e em conjunto com outras ações prevencionistas, incorpora um bom plano de SST nas empresas. Os EPIs mais utilizados são os seguintes: capacete com jugular; protetores auriculares; óculos de proteção; proteção facial; respiradores/máscaras de proteção; luvas; cintos de segurança; e botas.


Ainda de acordo com ele, para garantir a segurança do trabalhador, muito além da utilização de equipamentos de segurança, é fundamental promover e implementar um bom sistema de gestão, que contemple procedimentos alinhados às normas de segurança, como: “adoção de um bom levantamento dos riscos existentes nas obras, a definição das medidas de proteção adequadas para cada risco levantado, trabalhos de conscientização, treinamentos com a equipe operacional e ações para promover o engajamento e o envolvimento dos líderes”, orienta.

Você sabe o que é o PCMAT e a NR-18? Descubra em nosso e-book exclusivo e gratuito:
Compartilhe esta matéria

Novidades das ferramentas para pedreiros

Quero conferir!

Mapa da Obra - E-book
X