Publicado em 13/10/2017Distratos abalam o mercado imobiliário em 2017
Dos 103.200 imóveis comercializados no país no ano de 2016, os consumidores já devolveram 44.200Créditos: fizkes/shutterstock.com

Distratos abalam o mercado imobiliário em 2017

Somente no 1º trimestre, uma das principais incorporadas do país registrou R$ 530 milhões em distratos

Uma das grandes construtoras e incorporadoras do País, a Cyrela registrou R$ 530 milhões de distratos no segundo trimestre. Entre abril e junho, a incorporadora registrou efeito negativo de R$ 20 milhões devido a novas contingências; a maior parte refere-se a atraso em obra.

De acordo com o presidente da empresa, Raphael Horn, o foco será na geração de caixa e a empresa vai reduzir o volume de caixa destinado à compra de terrenos. A incorporadora não pretende deixar de comprar áreas que considere boas oportunidades.

Em entrevista ao Valor Econômico, Horn afirmou que “os estoques estão chegando ao fim, e a geração de caixa está próxima. Ninguém gosta de crise, mas sobrevivemos em termos de caixa e dívida”, disse Horn. A companhia espera que o valor de economia de obras seja reduzido nos próximos trimestres. De abril a junho, a Cyrela registrou impacto na receita por economia líquida de obra de R$ 39 milhões.

Distratos, o grande estrago

O diretor executivo da Tecnisa, Fabio Villas Bôas, também mostra todo seu descontentamento com os distratos, que, para ele, “fizeram um grande estrago”. Ele conta que tudo começou quando as obras iniciadas entre 2011 e 2012 ficaram prontas e “inundaram” o mercado imobiliário.

“Não demorou muito e já tínhamos uma crise instalada no país, acompanhada da restrição de crédito, menos financiamento – que ficaram mais caros – e a taxa Selic subiu”, explica. Assim, o comprador final que dependia do financiamento não se enquadrava mais no perfil e não conseguia pagar. “Pronto, os distratos começaram”, afirma Fabio, que completa: “temos 1.300 unidades prontas para vender”.

Em 2016, 103.200 imóveis foram comercializados no país, segundo os dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). Desde total, os consumidores já devolveram 44.200 unidades.

Retomada

O diretor da Tecnisa estima que o mercado pode ter uma retomada com os lançamentos do ano que vem. “Mas uma retomada efetiva só em meados de 2019, começo de 2020”, finaliza Villas Bôas.

 

Em meio a cenários como esse, confira como é importante fazer uma boa gestão tributária para seu negócio.Botão Site

 

Compartilhe esta matéria

Veja também

X