Publicado em 05/04/2016Conheça modelos de ar-condicionado ideais para sua casa
Aparelhos do sistema Split estão ficando cada vez mais populares e devem ser previstos desde o projeto, antes da obra

Conheça modelos de ar-condicionado ideais para sua casa

Sistemas “split” e portátil estão em alta para obras residenciais; ar-condicionado de janela tem instalação difícil e custosa

Adeus, ar-condicionado de janela. Agora, o mercado evoluiu e oferece opções estéticamente mais bonitas e práticas para quem precisa escolher modelos de ar-condicionado. Segundo Renato Nogueira de Carvalho, presidente do Departamento Nacional de Empresas Projetistas e Consultores da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava), os sistemas split, ou minisplit, e portáteis são as melhores escolhas.

O profissional explica que aquele equipamento pesado, que ficava pendurado para fora da fachada e já foi muito utilizado em residências, está sendo superado por outros tipos de modelos de ar-condicionado devido às dificuldades de instalação.

E olha que sobreviver ao calor de um El Niño, acumulado com o aquecimento global que enfrentamos, pode elevar, acima da média, os humores dentro de casa –  se não houver ar-condicionado. Segundo Rowan Sutton, professor do Centro Nacional de Ciências Atmosféricas de Londres, na Inglaterra, 2016 estará entre os anos mais quentes já registrados no planeta. Por isso, pegue lápis e papel, e comece a calcular. “Quem quer ter ar-condicionado em casa deve avaliar alguns pontos, desde o conforto que o sistema pode oferecer, passando pelo investimento em equipamentos, instalações e manutenção, até o aumento na conta de energia elétrica”, alerta Renato de Carvalho.

 

Escolha o tipo certo

Se a ideia de ter ar-condicionado vem desde o projeto, antes mesmo da obra, o sistema split será o mais adequado. Ele distribui melhor o ar fresco, mas é preciso que o ambiente tenha dreno para a água condensada, e um ponto de força para alimentação elétrica – tudo isso ficará embutido na parede, e interligado com outras instalações (elétrica e hidráulica) existentes. Mas a instalação é mais simples quando se trata de outros modelos de ar-condicionado.

“Se for um minisplit, a instalação é composta por uma unidade interna (evaporadora), uma unidade externa (condensadora) e a interligação entre elas, o que exige tubos de gás refrigerante e cabos elétricos de força e de comando”, explica o porta-voz da Abrava. Quem decidir instalar o split depois de terminada a construção da residência, terá de pensar qual o melhor modelo de unidade interna, a capacidade térmica adequada ao ambiente, e qual tipo de obra terá de ser executada para o equipamento poder ser instalado.

Mas, se a simples ideia de quebrar paredes causa calafrios,  melhor mesmo é partir para um condicionador de ar portátil. Neste caso, basta ter tomada em parede próxima da janela – e uma abertura, na própria janela, onde um tubo flexível para descarrega o ar quente proveniente da condensação. “Equipamentos que resfriem e aqueçam ambientes (quente/frio) pedem ralos ou pontos de dreno na unidade interna e na unidade externa.”

Em qualquer caso, escolha sempre equipamentos incluídos no Programa Brasileiro de Etiquetagem – Inmetro/Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) -, dando preferência àqueles de classificação “A” (são os que economizam mais energia).

 

Na hora de fazer pequenas instalações e reparos, o Cimento Obras Básicas da Votorantim Cimentos é indicado.Botão Site

Compartilhe esta matéria

Veja também

X