Publicado em 08/04/2014Saiba como usar concreto na decoração

Saiba como usar concreto na decoração

Designer aponta nove produtos da última edição da Rio+Design que compõem com cimento

Quem disse que concreto na decoração não combina? Além de elemento essencial das estruturas de muitos edifícios, agora o material aparece em todo e qualquer canto. Na forma de acabamento, é peça-chave na composição de ambientes internos e externos, salas, cozinhas, jardins e banheiros, conferindo toque rústico, ao mesmo tempo moderno e atual.

O concreto na decoração é uma tendência tão forte, que é, inclusive, destaque em feiras de arquitetura e design por todo o Brasil. Convidada pelo Mapa da Obra, a arquiteta de interiores Marília Veiga listou 9 produtos apresentados na última edição da Rio+Design que mais combinam com o concreto aparente. A feira exibiu trabalhos variados de designers e artistas cariocas no Jockey Club do Rio de Janeiro, dentre objetos de decoração e de uso pessoal.

 

Como usar concreto na decoração?

“O concreto aparente combina com tudo”, defende a arquiteta. “Seu tom acinzentado é neutro e traz muita sofisticação, além de fugir do branco tradicional para paredes.”

Marília aprecia as combinações do concreto com a madeira, que pode ser adotado no revestimento de piso e paredes ou então nos próprios móveis. Mas esta não é a única ideia de aplicação. “Outra boa solução é o uso de cores de forma mais pontual, com cuidado para não exagerar”, explica.

Além de ser um acabamento versátil, utilizar o concreto na decoração é uma alternativa mais barata que também é capaz de trazer modernidade e beleza para os ambientes internos. Isso é possível porque apenas com elementos como cimento, areia, água e brita, a finalização pode ser feita.

Para ajudar você a ter ideias de como usar o concreto na decoração com outros elementos, preparamos uma galeria de fotos com peças desenhadas por designers brasileiros, que foram expostas na Rio+Design. Veja alguns exemplos abaixo e inspire-se:

Já pensou em economizar na obra? A contratação de um arquiteto e urbanista traz o melhor custo/benefício. 

Botão Site

  • A cadeira ICZero 1, dos designers Guto Índio da Costa, André Lobo e Felipe Rangel, tem forma leve, esguia e fluida. Seus criadores usaram tecnologia que soma a plasticidade dos polímeros à resistência da fibra de vidro injetada. Durável, a cadeira também é 100% reciclável. Saiba mais sobre a cadeira ICZero 1 clicando aqui. - Foto: Divulgação
  • Na série Oro, dos designers Alander Especie, Guilherme Sass e Rodrigo Calixto, cada banqueta é produzida a partir do uso de uma única espécie de madeira, criteriosamente selecionada. Foram fabricadas apenas 10 unidades da banqueta Lótus. Para mais informações, clique aqui. - Foto: Divulgação
  • Versatilidade e modernidade são as características da Cruzada - uma estante modular em teca e alumínio, idealizada pelo designer Pedro Braga. Composta por peças de encaixe, não possui parafusos fixos, pode ser montada diversas vezes sem desgaste do material e é dimensionada conforme a necessidade do cliente. Para saber mais informações sobre a estante, clique aqui. - Foto: Divulgação
  • A geometria da cadeira Tupi, dos designers Leonardo Lattavo e Pedro Moog, surge da superposição de planos curvilíneos. Procurou-se forma de características muito orgânicas e ergonômicas, e abundância de duplas curvaturas que pudessem ser cortadas industrialmente, em peças planas, sem intervenções artesanais. O resultado final remete a grafismos indígenas, que intitulam a cadeira. Saiba mais sobre a cadeira Tupi, clique aqui. - Foto: Divulgação
  • Com luz embutida que reflete no pendente confeccionado em aço inox, a Luminária 360º, do designer Antonio Bernardo, valoriza o movimento de argolas dispostas em 360º. Vibrante e tridimensional, como num retrato em movimento, a luz atravessa os anéis e cria diversos desenhos sobre o seu piso de cimento queimado ou concreto. Conheça mais sobre a loja de Antonio Bernardo. - Foto: Divulgação
  • A ideia por trás da Cadeira Pedro, assinada pelo designer Fernando Mendes, é reaproveitar ao máximo as sobras de madeira. Pés e travessas estruturais têm seções reduzidas; assento e encosto aproveitam a colagem de vários sarrafos. O apelo é informal, mas com ares dos anos de 1950, sem abrir mão do conforto e da expressão lúdica contemporânea do mobiliário brasileiro. Mais informações você pode encontrar no site do designer Fernando Mendes. - Foto: Divulgação
  • As peças Mesas Festas Populares sobrepõem texturas criando novas tramas, em jogo de transparências e opacidades. O designer Ivan Rezende representa festas típicas - Bumba meu Boi, o Caboclinho e o Carnaval. A variação de cores é utilizada de forma a reforçar a brasilidade e o espírito das criações populares. Para mais informações clique aqui. - Foto: Divulgação
  • Versátil e modular, a linha Da Casa, da Bold Design, usa cinco peças básicas que se combinam. A novidade é a variedade dos acabamentos, que podem ser em painéis de teca, MDF e outras madeiras certificadas. Também em laca, verniz e revestimentos melamínicos, em várias cores. Saiba mais - Foto: Divulgação
  • O Banco Lombo, da Em2, mostra linhas limpas e suaves, surpreendendo em sua leveza visual e aspecto delgado. Na verdade, traz madeira maciça tanto no tampo quanto nos pés. O desenho é arredondado, como o de uma canoa. Mais informações sobre o banco Lombo, clique aqui - Foto: Divulgação
Compartilhe esta matéria

Veja também

X