Você busca conteúdos exclusivos sobre o mercado da construção civil?

Inscreva-se grátis e receba nossa newsletter.

Publicado em 22/10/2017Como fazer os cálculos de precificação da sua loja?
A precificação depende do custo do produto, das despesas flexíveis e da concorrência.

Como fazer os cálculos de precificação da sua loja?

Saiba quais fatores você precisa levar em consideração na hora de calcular os preços dos produtos

A precificação dos produtos pode parecer algo simples para alguns, mas é uma atividade bem complexa, que merece uma estratégia. Como definir então, o preço de venda?

Antes de chegar nessa resposta, é válido ressaltar que um dos principais objetivos das empresas é lucrar. Então, antes de aplicar o preço do produto, existem alguns fatores que precisam ser analisados para que o lucro líquido realmente exista. Inclusive, observar esses itens é essencial independentemente da estratégia de formação de preços que será adotada.

Os principais fatores são:

1. Análise de Mercado

A prática de preços mais altos que os da concorrência tem um resultado certeiro: a perda de espaço no mercado.

E como saber se o valor do produto está mesmo acima do que é praticado?

A única forma é por meio de uma pesquisa de mercado detalhada, com questões definidas, para coletar um conjunto de resultados.  Assim, será possível conhecer a estratégia dos concorrentes, bem como seus pontos fortes e fracos. Leia e estude sobre os produtos dos seus concorrentes, assim como os preços e promoções oferecidos por eles.

Dedicar tempo e energia a essa atividade é primordial para conseguir definir os valores mais competitivos. Também para, assim, traçar as melhores estratégias, aproximando-se ao máximo dos possíveis clientes. Portanto, é uma prática indispensável no momento da precificação dos seus produtos.

→ Nesse comparativo com o mercado, lembre-se de levar em conta o:

  • Tempo de mercado da sua marca;
  • Seu volume de vendas atual;
  • O nível de conhecimento da sua marca pelo público.

2. Custo do produto

O custo do produto tem que ser coberto pelo custo de venda. Isso é algo básico na precificação de um material. Nesse caso, o valor de compra da mercadoria, por exemplo, tem que ser avaliado e entrar na formação de preços. Esse, inclusive, é o que chamamos de custo direto.

Já o custo indireto se refere aos gastos empresariais que são distribuídos para todos os produtos, como o pagamento de salários, por exemplo.

Essas despesas podem ser fixas, ou variáveis, como você verá em seguida.  

3. Despesas fixas e variáveis

Esses são fatores que também devem ser cobertos pelo preço de venda. Sejam os gastos com tributos e impostos, com a manutenção da loja física e online, ou até com os encargos dos funcionários. Enfim, todas as despesas necessárias para manter o negócio ativo.

Despesas fixas: salários, pró-labore, luz, internet, aluguel, etc.

Despesas variáveis:  comissões de vendedores, frete sobre venda, impostos, etc.

→ Trabalhar com metas e estimativas de venda irá ajudar a avaliar se o preço praticado será viável, ou não.

 

Cálculo da formação de precificação

Depois de avaliar os fatores pertinentes à precificação, é chegada a hora de fazer os cálculos do preço ideal. Há quatro técnicas principais que podem ser aplicadas:

  • Formação com base no lucro

Essa técnica tem como foco o lucro. Ou seja, se estabelece o percentual do lucro desejado, e é por meio dele que se chega ao preço de venda. Assim:

100% preço de venda = custo inicial + percentual das despesas fixas + percentual de lucro desejado

  • Margem

Ao estabelecer uma margem de lucro, a empresa define quanto quer ganhar sob cada venda. O cálculo se dá pela seguinte fórmula:

Margem = valor de venda – custos e despesas variáveis

Assim, é possível entender se a margem do custo de venda é alta, ou baixa, e fazer os ajustes necessários.

  • Markup

Markup é uma expressão bem conhecida no universo empreendedor. Esse é um método que trabalha com estimativas, diferente do conceito de margem. Portanto, os cálculos é feito utilizando porcentagens.

A fórmula, então, aplica os percentuais de:

Markup = 100 / [100 – (despesas variáveis + despesas fixas + lucro desejado)]

É importante observar que o percentual do lucro desejado se dá pela soma do percentual das despesas fixas com o percentual das despesas variáveis.

  • Pesquisa de preço

Já falamos sobre a importância da análise de mercado, e de como a pesquisa de preço da concorrência é importante para tornar o valor do produto atrativo e competitivo. Aqui, o diferencial da empresa será o preço, e, por isso, é preciso avaliar a média de preço do produto no mercado.

Mas, fique atento: chegar a um custo de venda mais baixo que a média nem sempre vale a pena para o seu negócio. Só compensa se todos os custos referentes ao produto puderem ser cobertos. Caso contrário, o setor financeiro da empresa poderá sofrer consequências negativas.  

Para todos esses cálculos, e, principalmente, para a pesquisa de preço, ainda é possível agregar outras variáveis. Elas podem compor o cenário da formação de preços, quando consideramos:

  • Comportamento das vendas
  • Impacto nas vendas em eventos sazonais, como datas comemorativas
  • Situação política do país
  • Novos hábitos dos consumidores
  • Mudanças na concorrência
  • Variações econômicas do país
  • Novos produtos
  • Novas tendências de mercado

É importante encontrar um equilíbrio no meio de tudo isso. Aplique um preço que não esteja nem muito acima, nem muito abaixo do mercado. Assim, seu negócio terá poder competitivo e de lucro.

Fornecedores também têm seu papel na formação de preço

Por fim, aqui vai um dos pontos mais importantes para a formação de preços: os fornecedores. É a interação com o fornecedor que torna o preço de compra adequado.

Assim, ele é aplicado às fórmulas descritas anteriormente e, então, o lucro é viável. Encontrar produtos de qualidade, com preço de compra acessível e condições de pagamento flexíveis, certamente trará benefícios para a formação de preço.

Mas, para chegar nesse cenário, é necessário investir um pouco mais de tempo. Isso porque é preciso fazer uma pesquisa minuciosa para se certificar de que o fornecedor:

  • É de confiança;
  • Conta com diversos produtos à disposição;
  • Oferece boas condições de preço;
  • É flexível quanto à negociação.

Dessa forma, atingir o lucro líquido esperado por venda fica muito mais fácil, garantido um bom custo-benefício aos seus clientes.

 

Agora que você já sabe como fazer a formação de preços dos seus produtos, descubra algo indispensável para todos que trabalham no mundo da construção: o material ideal para estruturas de concreto armado. Botão Site

 

Compartilhe esta matéria

Quer receber notícias e dicas sobre construção civil?

Inscreva-se grátis e
receba nossa newsletter.

X