Publicado em 05/03/2014Cimento queimado em casa: como fazer?

Cimento queimado em casa: como fazer?

Respondemos às dúvidas mais frequentes de quem pensa em fazer cimento queimado

Versátil, o cimento queimado combina com qualquer ambiente e pode ser aplicado em qualquer superfície. É fácil de limpar e de manter bonito ao longo do tempo. Rústico, ele lembra o piso artesanal da casa da vó, mas já se renovou e hoje está disponível em versões mais tecnológicas, como o tecnocimento. Pode ser uma opção mais em conta para revestir pisos, paredes, bancadas… Mas a aplicação exige cuidados e experiência nessa “arte”. Passeie pela galeria de fotos com projetos que usam cimento queimado e confira explicações e dicas para ter cimento queimado em casa.

Conteúdo publicado no Casa.com.br

Conheça os procedimentos adotados por construtora para resolver esse problema de forma assertiva!

Botão Site

  • Onde o cimento queimado é mais indicado? Ele vai até em áreas molhadas e externas, além de salas, cozinhas, banheiros, varandas... Mas é preciso avaliar bem o uso externo ou molhado, para evitar escorregões. “O cimento queimado fica bastante liso, quando bem aplicado - queimar é, na linguagem mais técnica, desempenar”, explica o arquiteto Gustavo Calazans, de São Paulo. Alternativa é “fazer algumas ranhuras em locais estratégicos, ou mesclar com outros materiais menos lisos, como pastilhas e ladrilhos hidráulicos”, sugere a arquiteta paulistana Maristela Faccioli. O espaço gourmet assinado pela arquiteta paulista Bartira Mendes fica do lado de fora, mas é coberto, o que deixa o piso de cimento queimado feito na obra menos exposto à chuva - Foto: Divulgação
  • Por que o piso trinca? É normal? Pequenas trincas são comuns. A causa é o movimento de expansão e retração do cimento, mais intenso que no contrapiso. “Quem não aprecia, não faz em casa”, diz o arquiteto paulista Flávio Butti, sócio de Alice Martins. Para diminuir o aparecimento das trincas, o segredo está nas juntas de dilatação “com no máximo um metro de distância entre elas”, recomenda o arquiteto Gustavo Calazans. “O uso da junta garante que o piso tenha uma área mais frágil; um lugar onde trincar”. Se a ideia de colocar juntas de dilatação não agrada, que tal usar os frisos a favor da decoração, como nesta sala, projetada pelo arquiteto paulista José Carlos Sérgio? O arremate dos ladrilhos hidráulicos fez toda a diferença - Foto: Divulgação
  • Dá para aplicar cimento queimado sobre outros pisos? Apesar de ter aparência rústica, ele é um revestimento que exige muito cuidado na execução. Qualquer erro na receita da massa ou qualquer desnível na base podem comprometer o resultado final. Por isso, não é aconselhado aplicar o cimento queimado sobre outro piso. “É sempre melhor fazer a remoção do revestimento anterior, acertar o nível com um contrapiso e, então, aplicar o pó para ‘queimá-lo'”, afirma a arquiteta paulistana Teresa Simões - Foto: Victor Affaro
  • Dá para aplicar cimento queimado na parede também? Sim. O cimento queimado pode ser aplicado em qualquer superfície. Mas, assim como no piso, é preciso garantir que o local onde ele será feito seja bem liso e homogêneo, sem trincas. “Como se trata de um revestimento muito pouco espesso [4 mm], ele acaba revelando qualquer imperfeição original da parede”, alerta Gustavo Calazans. Para evitar as trincas próprias do revestimento, o arquiteto aconselha agregar à massa algum aglomerante que faça o cimento ficar mais elástico. Ou então optar por massas prontas que já tenham esse tipo de material na composição. Apenas uma parede deste lavabo recebeu o cimento queimado. Projeto dos arquitetos Julio Bouvier e Giles Castellan, de São Paulo - Foto: Divulgação
  • Cimento queimado, tecnocimento... Qual a diferença? O cimento queimado é uma massa essencialmente artesanal, sujeita a manchas e pequenas trincas. E o charme e originalidade desse revestimento estão nessas pequenas imperfeições. Já o tecnocimento é uma massa que vem pronta e com aditivos (eles garantem ao revestimento mais resistência e versatilidade). Isso quer dizer que, ao contrário do cimento queimado tradicional, ele não precisa de juntas de dilatação. “E, desde que seja aplicado sobre um contrapiso firme, ele não apresenta fissuras ou rachaduras”, afirma a arquiteta Manoela Abrahão, que tem escritório em São Paulo. No projeto da cozinha, Manoela optou pelo piso de tecnocimento, mais resistente, sem juntas de dilatação, e de resultado mais homogêneo - Foto: Divulgação
  • O cimento vermelho dos casarões antigos era cimento queimado? Como fazer cimento queimado colorido? Segundo a arquiteta paulista Carolina Ribeiro, o chamado “vermelhão” era feito da mistura de cimento cinza com pó xadrez. E ainda hoje é possível misturar a massa artesanal para cimento queimado ao pó colorante. Ele é encontrado em seis cores básicas (amarelo, marrom, verde, azul, preto e vermelho). “Para tons mais claros, é melhor utilizar cimento branco”, indica o arquiteto Frederico Zanelato, de São Paulo. As massas prontas, como o tecnocimento, já vêm pigmentadas na cor e tom escolhidos, sem necessidade de fazer a mistura na hora. No projeto de Carolina Ribeiro, a parede foi revestida com massa tingida e recebeu, depois de pronta, acabamento brilhante - Foto: Divulgação
  • Como evitar manchas? “Quando o material fica exposto aos raios UV, ele tende a desbotar com o tempo. Além disso, existe um processo chamado eflorescência, em que o cimento libera gases que chegam à superfície, cobrindo o material com uma camada que passa essa impressão de desbotamento. Isso faz variar a coloração original do produto”, explica Carolina. Algumas providências: empregar areia fina, clara e lavada na mistura para um resultado mais homogêneo; fazer a cura de forma mais lenta, para reduzir o aparecimento de manchas; aplicar resinas com filtro ultravioleta e até optar por massas pré-fabricadas, que são mais resistentes. O projeto do home office com piso de cimento queimado artesanal é dos arquitetos Luis Café e Vivian Contri, de São Paulo. As manchas são o charme do piso - Foto: Victor Affaro
  • Vale a pena trocar o piso antigo pelo de cimento queimado? “Leve em conta não apenas o valor de alguns sacos de cimento”, alerta a arquiteta Maristela Faccioli. A retirada do piso existente exige mão de obra e transporte do entulho, e a regularização do contrapiso. “O segredo para que o cimento queimado trinque menos é aplicá-lo sobre contrapiso ainda úmido. No caso de uma reforma isso já não vai acontecer”, aponta Maristela. “Além disso, o piso de cimento queimado é pouco espesso. Você pode ter problemas com os níveis entre os ambientes.” Na reforma da sala, a arquiteta paulista Laura Reily retirou o carpete e aplicou cimento queimado no contrapiso de concreto. Ela também trocou as cerâmicas da cozinha e da lavanderia pelo revestimento rústico - Foto: Divulgação
  • Dá para corrigir um piso malfeito? Ou tem que refazer tudo? Não dá para corrigir. “No caso de piso de cimento queimado, por se tratar de uma capa de no máximo quatro milímetros, raspar ou lixar quase nunca é uma boa opção. E se há pontos de desnivelamento, este não está no cimento queimado e sim no contrapiso - não há como corrigir um cimento queimado cujo contrapiso não se encontra em bom estado”, aponta o arquiteto Gustavo Calazans. Qualquer tentativa de correção de trechos do piso vai gerar emendas que acabarão fugindo do padrão do restante. Na foto, o tapete de ladrilhos hidráulicos no piso de cimento queimado é assinado por Alan Chu e Cristiano Kato, de São Paulo - Foto: Divulgação
  • Não encontro mão-de-obra especializada na minha cidade. Posso aplicar por conta própria? “A aplicação, apesar de simples, não deve ser feita por quem não tem experiência, pois não se trata de uma simples pintura. Requer experiência no trabalho da massa e na sua forma de aplicação, no uso da desempenadeira, no tempo de preparo de cada camada e, além disso, muito preparo físico, pois como é aplicado manualmente requer esforço e capricho”, afirma a arquiteta Manoela Abrahão. A arquiteta Lívia Cavalca não recomenda que a aplicação seja feita por conta própria, “mas hoje em dia há muitos tutoriais que ensinam como aplicar, por exemplo, o tecnocimento.” E tecnocimento foi a escolha de Lívia para reformar o piso da quitinete onde mora em São Paulo. O material reveste até o piso do banheiro - Foto: André Fortes
Compartilhe esta matéria

Veja também

X