Votorantim Cimentos
Publicado em 27/03/2017Radier de concreto armado é opção para fundações diretas
Radier dispensa grandes escavações, intensas movimentações de terra e a montagem de fôrmas complexasCréditos: yoshi0511/shutterstock.com

Radier de concreto armado é opção para fundações diretas

De simples execução e baixo custo, fundação radier é indicada para a construção de casas térreas e pequenos edifícios

O radier é um tipo de fundação superficial na qual toda a carga da edificação é transferida para uma laje maciça de concreto. Por se tratar de uma fundação direta – que distribui uniformemente todo o peso da edificação no terreno –, pode ser utilizado em variados tipos de solo, desde que seja feita uma análise conjunta do cálculo estrutural e do estudo da capacidade de carga do sol.

“O método não deve ser utilizado em solos com baixa resistência superficial e em projetos arquitetônicos que resultem em cargas concentradas em determinados pontos das edificações”, comenta o engenheiro José Stucki, diretor de obras do Grupo Pacaembu, construtora especializada em construções habitacionais de interesse social. De modo geral, o radier encontra aplicação na construção de casas térreas, sobrados e edifícios com poucos pavimentos.

Ao dispensar grandes escavações, intensas movimentações de terra e a montagem de fôrmas complexas, a técnica torna-se bastante competitiva com relação a custos e prazos de execução. A construção de um radier armado para uma residência, por exemplo, pode ser concluída em dois dias, por três funcionários – um dia e meio para montagem e meio dia para concretagem.

Em função da flexibilidade e da velocidade de execução proporcionadas, o radier combina com sistemas estruturais tradicionais e também com industrializados, como light steel framing (aço) e wood frame (madeira). Esse tipo de fundação permite criar rapidamente uma plataforma de trabalho para serviços posteriores, o que pode beneficiar o planejamento das etapas subsequentes. Em contrapartida, impõe a execução precoce de instalações sanitárias e hidráulicas.

Tipos de radier

Dependendo das características e da escala do projeto, os radiers podem ser executados em concreto armado, em concreto reforçado com fibras ou em concreto protendido. Em todos os casos, o elemento de fundação deve resistir aos esforços pontuais de cada pilar, além de suportar eventuais pressões do lençol freático.

O tipo mais usual, de concreto armado, é indicado para a construção de casas e de edifícios com, no máximo, quatro ou cinco pavimentos. O radier protendido tem aplicação em projetos que exigem apoiar várias casas contínuas e em edificações mais altas, que chegam a doze pavimentos. Também pode ser uma solução interessante quando a construtora quer diminuir o consumo de concreto, em comparação ao modelo armado. O radier com concreto reforçado com fibras tem aplicação apenas em casas térreas e sobrados.

A laje de fundação pode ser do tipo flexível (quando não possui vigas de concreto) ou rígido (quando tem vigas de concreto para aumentar sua rigidez). A opção por um ou outro modelo depende da resistência do solo, das cargas atuantes sobre o radier e da intensidade e aplicação das ações da estrutura. Geralmente, em solos expansivos utiliza-se um radier nervurado, que tem maior rigidez.

Execução simplificada

Como ocorre em outros tipos de fundações, a construção de um radier de concreto tem início com um estudo topográfico do terreno. Durante a terraplenagem, deve ser respeitada uma tolerância máxima de variação no nivelamento de 1 cm ou 2 cm para evitar consumo excessivo de concreto.

Na sequência são montadas as instalações hidráulicas (água e esgoto) e as caixas de passagens das instalações elétricas. A base que irá apoiar o radier deve ser preparada com uma camada de brita de, aproximadamente, 7 cm, protegida por lona plástica.

Preparo da armação

As etapas seguintes são a montagem das fôrmas, que podem ser metálicas ou de compensado de madeira, e a colocação da armadura, que pode empregar tela metálica (simples ou dupla), com ou sem reforço. Para garantir o cobrimento adequado e o correto posicionamento dos vergalhões de aço, devem ser utilizados espaçadores.

As armaduras precisam ser dimensionadas de acordo com as cargas atuantes, com a resistência do concreto utilizada e com a capacidade de carga do solo. “Para obter uma taxa de armadura econômica, utilizamos uma malha em toda a área do radier que atenda às menores taxas de aço calculadas e malhas de reforço onde há pequenas concentrações de cargas, como sob as paredes”, explica José Stucki.

Concreto para fundações

A concretagem do radier é feita in loco e pode se dar por meio de bomba ou jerica. Após o derramamento da massa, o acabamento superficial é obtido por sarrafeamento, desempenamento e acabadora mecânica de superfície. A cura do concreto armado pode ser feita com lâmina d’água ou manta geotêxtil umedecida. Para radiers armados, normalmente utiliza-se concreto com resistência à compressão de 25 MPa. Já para os protendidos, o mais comum é recorrer ao concreto de 30 MPA.

A conclusão dos trabalhos se dá com a impermeabilização da laje de fundação, privilegiando sistemas flexíveis, como as mantas asfálticas, que acompanham a movimentação da laje e criam uma barreira física, evitando que a umidade presente no solo suba para a estrutura através dos poros do concreto.

Boas práticas

Entre as etapas mais críticas da execução de um radier destaca-se a recomposição das valas abertas para instalações elétricas e hidrossanitárias. Nesse momento, é preciso preencher todos os vazios e garantir o nivelamento do terreno.

Outros momentos que demandam atenção especial do construtor são a execução da viga de borda e a manutenção da espessura do concreto em toda a extensão do sistema. Tanto a concepção quanto a construção de radiers de concreto devem obedecer aos requisitos da ABNT NBR 6122:2010, que trata do projeto e execução de fundações.

 

A laje tem grande importância em uma obra por representar a estrutura dela.

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também

X