Votorantim Cimentos
Publicado em 13/01/2020Concreto protendido ou armado? Entenda as diferenças
A NBR 6118, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), estabelece quatro classes de agressividade a que o concreto poderá ficar exposto durante sua vida útilCréditos: Shutterstock

Concreto protendido ou armado? Entenda as diferenças

A dosagem do concreto segue a resistência do material necessário ao projeto estrutural

O concreto armado e o concreto protendido são soluções muito utilizadas na construção civil, porém, ambas possuem as suas características e peculiaridades, exigindo um tipo de aplicação distinta que se adapte a cada uma delas. O concreto protendido, por exemplo, exige alguns esforços por conta da execução. Uma de suas vantagens, com a especificação do concreto protendido, é a obtenção de alta resistência, onde as tensões de tração são reduzidas e, eventualmente, eliminadas, assim limitando e até mesmo impedindo que ocorram fissuras no concreto.

Já no caso do concreto armado, o que ocorre é um trabalho conjunto entre dois materiais: o concreto, que possui ótima resistência à compressão, e o aço, que possui grande resistência aos esforços de tração. “Essa associação permite a execução de estruturas seguras e peças de tamanhos reduzidos”, aponta Marcos Monteiro, docente do curso de Engenharia Civil do Instituto Mauá de Tecnologia. No concreto protendido adiciona-se a essa composição, a chamada armadura ativa (fios e cabos). Essa armadura é tracionada antes ou após a concretagem da peça (pré-tensão ou pós-tensão), introduzindo esforços de compressão no concreto. “Esses esforços de compressão irão limitar os esforços de tração nos elementos estruturais, reduzindo a fissuração das peças e permitindo a execução de grandes vãos, com seções ainda mais reduzidas”, destaca.

Ainda de acordo com o professor, a principal diferença é a introdução da armadura de protensão, que não é a mesma utilizada nas estruturas correntes. O projeto estrutural incorpora verificações adicionais com a utilização da protensão. “Na execução, em geral, há a necessidade de contratação de uma empresa de serviços de protensão, que possui os equipamentos e conhecimento necessários para posicionamento dessas armaduras e para aplicação das forças de protensão”, destaca.

 

Concreto protendido x armado: confira a aplicação de cada um dos sistemas

A execução do concreto armado ocorre por meio de uma mistura de concreto pronto diretamente nas formas, constituída por agregados miúdos; cimento; areia, água e minerais, agregados graúdos, como brita; e aditivos, como impermeabilizantes, aceleradores, plastificantes, entre outros, onde a dosagem de cada um dos itens é especificada de acordo com a função estrutural do concreto armado e depende também da exigência determinada previamente em projeto.

Já o concreto protendido é muito utilizado para garantir e aumentar a resistência à tração do concreto, melhorando o desempenho de estruturas. É utilizado em diversas edificações aplicando tensão nos cabos de aço antes do processo de cura do concreto, o que gera um pré-alongamento, o que acaba por produzir um sistema de esforços auto equilibrado. Basicamente, a protensão é utilizada quando se deseja obter grandes vãos (acima de 8 metros) e peças estruturais esbeltas. Mas também existem outras situações em que se pode utilizar a protensão: “quando se deseja aumentar a durabilidade das peças de concreto armado com a redução de sua fissuração, em pisos armados para redução da quantidade de juntas, ou ainda para fazer frente a esforços que surjam durante o transporte de peças pré-moldadas”, orienta o docente.

Vale ressaltar que é preciso ter cuidado com a dosagem do concreto. Ela segue a resistência do material necessário de acordo com o projeto estrutural. Endurecido, o concreto recebe cuidados em função do meio ambiente em que foi executado. A NBR 6118, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), estabelece quatro classes de agressividade a que o concreto poderá ficar exposto durante sua vida útil e, assim, define, para cada situação, a dosagem correta (relação água-cimento, consumo e tipo de cimento, resistência característica (fck) e cobrimento das armaduras, entre outros).

Para chegar ao valor da densidade é feito o seguinte cálculo: divisão da massa de uma determinada porção do material por seu volume. Para descobrir o valor da massa específica do concreto no estado endurecido, basta consultar a ABNT NBR 9778: 2009 – Argamassas e concreto endurecidos – Determinação da absorção de água, índice de vazios e massa específica.

 

Entenda os fatores de impacto na durabilidade das estruturas de concreto:

https://www.mapadaobra.com.br/papoconstrutivo/estruturas-de-concreto/

 

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também

X