Votorantim Cimentos
Publicado em 05/08/2014Aprenda como construir cisternas

Aprenda como construir cisternas

Confira recomendações da Votorantim Cimentos para fazer uma cisterna de ferro-cimento

Embora existam cisternas de plástico disponíveis no mercado, pode ser difícil encontrá-las em cidades distantes dos grandes centros urbanos. E é geralmente nessas cidades onde moradores mais precisam captar água da chuva para uso posterior em hortas, jardins, quintais e vasos sanitários.

Construir cisternas a partir de materiais cimentícios pode ser então interessante. “Uma opção é a cisterna em ferro-cimento”, indica o arquiteto Tomaz Lotufo, especialista em bioconstrução. É necessário contar com dispositivo que descarta as primeiras chuvas, evitando o armazenamento de partículas aéreas ou de sujeira presentes no sistema, e que se misturam à água. Além disso, há filtros que retêm a sujeira mais grossa, como folhas.

O posicionamento da cisterna, à sombra, com tampa que impede a entrada de luz solar, também contribui para a qualidade da água, evitando a proliferação de algas.

O próprio sistema hidráulico extravasor, quando dotado de sifão, impede a entrada de insetos e roedores. É preciso também limpar o reservatório uma vez por ano, ou sempre que houver suspeita de contaminação. Esse procedimento é feito com a adição de hipoclorito de sódio (uma parte de água sanitária) diluído em água (nove partes).

Para não comprometer a qualidade da água, evite cisternas com rachaduras, tampas mal fechadas, e não use baldes para retirar água do reservatório. A falta de limpeza periódica do telhado também é prejudicial. Um projeto adequado inclui: dispositivo para desviar automaticamente as primeiras águas da chuva ou, pelo menos, remover detritos (como folhas) da linha de fluxo; uma cobertura que impeça a entrada de insetos e luz, extravasor e ventilação para oxigenar a água armazenada, além de tubulação para retirada de água.

Conheça melhor os equipamentos e mecanismos que integram cisternas:

Reservatório de autolimpeza: esse mecanismo, que também recebe o nome de first flush, serve para descartar a primeira água da chuva. Evita que a sujeira que estava no telhado seja levada para dentro do reservatório.

By-pass: esse dispositivo evita excesso de água dentro do reservatório. Quando a cisterna atinge seu nível máximo, desvia a água para fora.

Filtro de macropartícula: são dois filtros subsequentes. O primeiro elimina a sujeira mais grossa, como folhas e gravetos. O segundo – uma tela de aço-, retém o restante da sujeira.

Freio d’água: ao fundo do reservatório, esse dispositivo evita que a água, já filtrada, agite a sujeira depositada.

Sifão-ladrão: instalado cinco centímetros acima da entrada de água, descarta o excesso dela, e evita odores e a entrada de insetos no reservatório.

Conjunto de sucção: o mecanismo viabiliza a captação de água superficial. Isso evita que os sedimentos do fundo sejam sugados e enviados para consumo.

Eletronível: equipamento elétrico que interrompe o funcionamento do conjunto de sucção quando há pouca água no reservatório.

Tampa de inspeção: veda o reservatório. Tem 60 cm de circunferência no mínimo. Deve vedar completamente a entrada de luz, ou haverá riscos de proliferação de algas.

Confira entrevista exclusiva com Silvia Vieira, gerente de pesquisa e desenvolvimento da Votorantim Cimentos. Ela fala sobre o melhor uso do cimento na construção de cisternas:

Mapa da Obra –  Quais as características de cimentos utilizados em cisternas?

Silvia Vieira – Não existem restrições ou recomendações quanto ao tipo de cimento. Em princípio, qualquer cimento Portland é aplicável.

Mapa da Obra – Cisternas podem ser consideradas meios agressivos para o cimento?

Silvia Vieira –De forma geral, não. No entanto, se a cisterna estiver em contato com um solo rico em enxofre, poderá haver deterioração do produto. Esse ataque sulfático se dá por reação entre alguns constituintes do cimento com o enxofre dos solos ou de águas poluídas, o que pode fraturar o concreto.
Se não houver cuidado com o cimento, ele poderá contaminar a água a ser utilizada?
Não. O cimento não contamina a água, e estruturas para tratamento de água são frequentemente feitas com concreto, aqui e no resto do mundo.

Mapa da Obra – Como se dá a impermeabilização de cisternas? O próprio concreto é capaz de impermeabilizar ou é preciso usar sistemas adicionais?

Silvia Vieira – Este é um aspecto importante. O próprio concreto é capaz de impermeabilizar a cisterna, desde que seja preparado com uma proporção adequada dos materiais: principalmente cimento e água. Um excesso de água ou falta de cimento na mistura resultam em concreto permeável. Além disso, em casos de cisternas de ferro-cimento, o aumento da permeabilidade do concreto pode levar à corrosão da malha de ferro colocada na estrutura.

Portanto, o cuidado nas proporções, preparação e aplicação do concreto é fundamental para o bom desempenho do produto final. A Votorantim tem os cimentos mais adequados para produção de cisternas. Os dos tipos CP IV e CP III evitam ataque por sulfatos.

Mapa da Obra – Quais serviços a Votorantim tem disponível para esse tipo de obra?

Silvia Vieira – A Votorantim pode fornecer assistência técnica.

Conheça os 4 tipos de concreto bombeado da família Hi-mix, da Engemix 

Botão Site

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também

X