Votorantim Cimentos
Publicado em 31/10/2016Norma sobre utilização de vidro na construção é atualizada
Gigantes como o edifício e-Tower, localizado na zonal sul de São Paulo, ganham cada vez mais espaço nas metrópoles

Norma sobre utilização de vidro na construção é atualizada

A NBR 7199 – Vidros na construção civil – Projeto, execução e aplicações foi atualizada e ficou mais clara

Com o avanço da tecnologia os vidros foram ganhando cada vez mais espaço nas fachadas dos prédios, com projetos arrojados e criativos. Conhecida como “pele de vidro”, este tipo de acabamento invadiu as metrópoles brasileiras.

As empresas estão optando por esse tipo de fachada por duas razões: ambiental, já que os novos vidros seguram boa parte do calor do lado de fora, reduzindo o consumo de energia com luz; e estética, pois prédios envidraçados dão uma ideia de modernidade e tecnologia.

Mas é preciso ficar atento com desempeno térmico de uma fachada de vidro, isso porque ela esquenta mais o ambiente, tornando o uso do ar condicionado quase indispensável. Portanto, a economia feita com iluminação pode ser gasta com resfriamento do local.  Outro ponto que devem ser levados em consideração no momento de escolha é a necessidade de manutenção constante para manter os vidros limpos.

Normatização

De fato, não poderia haver melhor hora para que o principal texto técnico sobre vidros fosse atualizado. A NBR 7199Vidros na construção civil – Projeto, execução e aplicações, que estabelece as regras gerais para a utilização dos vidros na construção civil, passou por uma completa atualização, num trabalho coordenado pelo Comitê Brasileiro de Vidros Planos, sediado na Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos (Abravidro).

Sua redação foi alterada com o objetivo de deixá-la mais clara e eliminar dúvidas de interpretação que existiam, principalmente em relação à indicação dos vidros para cada tipo de aplicação. Confira o que mudou no caso das fachadas:

Fachadas (vidros verticais)
Abaixo de 1,1 em relação ao piso

A partir do primeiro pavimento (inclusive), e no pavimento térreo dividindo ambientes com desnível superior a 1,5 m:

-Laminado

-Aramado

-Insulado (composto com os vidros acima)

No pavimento térreo:

-Temperado

-Laminado

-Aramado

-Insulado (composto com os vidros acima)

Acima de 1,1 m em relação ao piso

-Temperado

-Laminado

-Aramado

-Float ou impresso (encaixilhado ou colado em todo o perímetro)

-Insulado (composto com os vidros acima)

*Na versão anterior: não havia citação aos vidros em fachadas aplicados no pavimento térreo com ou sem desnível.

Vidro na construção

O uso do vidro surgiu com as vanguardas do século 20 e com a arquitetura moderna nos anos 1950 e 1960, quando edifícios com grandes aberturas transparentes invadiram cidades como Nova York e Chicago, nos Estados Unidos. Mas o primeiro edifício alto com a fachada inteira de vidro foi construído no Brasil, em 1945. Trata-se do prédio do Ministério da Educação, o edifício Gustavo Capanema.

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também