Votorantim Cimentos
Publicado em 07/02/2017Lojas apostam em promoções e comércio busca recuperação
Promoções são artifício para atrair consumidores e gatilho para alavancar as vendasCréditos: Visia

Lojas apostam em promoções e comércio busca recuperação

Nesta época do ano, lojas de materiais de construção apostam em promoções e consumidor tem boa oportunidade para fazer reformas e reparos

Ano novo e que tal casa nova? A época do ano é propícia para trazer novos ares, seja para fazer pequenos reparos ou uma grande reforma e até mesmo atualizar a decoração. Assim como o comércio em geral, as lojas de materiais de construção e de decoração estão com promoções que, em alguns casos, podem até fazer o preço cair pela metade. Contudo, não deixe de pesquisar os preços e evite comprar por impulso.

Mas as promoções também são um artifício para atrair os consumidores, que andaram sumidos no último ano, e um gatilho para alavancar de vez as vendas. O Mapa da Obra conversou com o presidente da Associação Nacional dos Comerciantes de Material Construção (Anamaco), Claudio Conz, que se mostrou bastante otimista. Acompanhe:

Mapa da Obra – O setor esteve em queda nos últimos dois anos; foi um período difícil que trouxe desânimo aos varejistas. Como o senhor avalia esse período de retração, crise e vendas despencando?

Claudio Conz – Fechamos 2016 com queda de 6% sobre 2015, quando tivemos um faturamento de R$ 115 bilhões. Tivemos um primeiro semestre muito complicado e isso dificultou uma reação maior do setor. O problema, no entanto, não foi apenas no varejo de material de construção. O varejo em geral no Brasil teve muitos problemas em 2015 e 2016.  É a primeira vez desde 1994 que registramos retração em dois anos seguidos no nosso setor. Apesar disso, já começamos a esboçar uma reação. Ela não foi suficiente para reverter o quadro de 2016, mas foi suficiente para que comecemos 2017 otimistas.

MDO – O que motivou esta reação e deve fomentá-la?

Conz – A maior oferta de crédito e os juros menores devem influenciar positivamente as nossas vendas. Além disso, os impactos do lançamento do Cartão Reforma e da retomada do Construcard devem começar a serem sentidos já no início do ano.

MDO – Há uma grande expectativa criado em relação ao Cartão Reforma e ao Construcard…

Conz – Sim, são ações importantes porque influenciarão positivamente as nossas vendas, mas precisamos mais do que isso. Precisamos de mais oferta de crédito e juros menores. O nosso setor é um setor que exige planejamento. Ninguém sai de casa de manhã com vontade de comprar um bidê. A pessoa tem que planejar a obra, contratar o arquiteto, o engenheiro, o mestre de obras, o pedreiro e comprar o material. Fora que, às vezes, acha que o problema é a infiltração no banheiro e precisa trocar o piso todo, refazer o encanamento… Mesmo a mais simples das obras requer planejamento. E isso afeta diretamente a forma como vendemos os nossos produtos.

MDO – De que maneira?

Conz – Muita gente depende de linhas de financiamento pra fazer aquele reparo, por mais simples que ele seja. Por isso, as linhas de financiamento são tão importantes para o nosso setor. As pessoas precisam ter acesso ao crédito, precisam conseguir pagar o financiamento. Por isso, estamos trabalhando junto aos bancos para que isso se torne possível. O Constucard já deu um passo à frente, temos outras linhas de financiamento, como a em parceria com o Bradesco, em vigor desde 2001. Quanto mais acesso ao crédito a juros menores, mais o nosso setor se beneficia.

MDO – Qual é a perspectiva para o ano de 2017?

Conz – A nossa expectativa é de crescermos 3% no primeiro semestre e 6% no segundo, fechando o ano com 5% de crescimento sobre 2016.

 

Leia também: Confira dicas para evitar problemas durante a reforma

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também