Votorantim Cimentos
Publicado em 03/02/2015

Inspirado nos lofts

Arquitetura exótica com uso de cimentícios pode ser importante diferencial de mercado

O mercado imobiliário vai ficando saturado de ofertas – e uma possibilidade de contornar a concorrência é arriscar o diferente, com layouts personalizados, ou padronizados que fogem do tipo “quadrado” dos apartamentos de dois dormitórios, em fachadas neoclássicas. O grupo mexicano Proyecto Cafeína se dedica especialmente a produzir essas diferenças, e seu Constitución 8 é exemplo de como construir para um gosto que busca opção pouco convencional de moradia.
Primeiro, porque o condomínio, de fora, nem parece residencial. Em Puebla, no México, o edifício de dez apartamentos exibe estética industrial inspirada nos lofts – seus espaços abertos pretendem atender a um design de interiores e estilo de vida mais contemporâneos.
Materiais aparentes e crus, como o vidro, o concreto de blocos e elementos estruturais, a madeira e as divisórias de ambientes foram selecionados por critérios que tomam aquecimento dos ambientes como premissa, além da obtenção de um produto construtivo de baixo custo de manutenção.
Outra ideia do projeto é integrar o prédio à natureza circundante, com vista para a cidade, encontrando luz e ventilação naturais para todos os cômodos. O andar térreo possui um jardim comum, e o prédio tem ainda teto acessível com vista panorâmica, que serve de grande terraço comunitário.
“Escolhemos usar o concreto em vigas e colunas estruturais, e o bloco de concreto na vedação das paredes, porque sua execução é prática, a construção, ágil, sistematizada, e o resultado final tem aspecto sólido, consistente, em que se confia e tem segurança”, diz o arquiteto Andrés Miranda Furlong, do Proyecto Cafeína. “Os cimentícios também representam, em nossos projetos, itens de baixa manutenção no longo prazo, o que os torna ainda mais interessantes; um bom investimento.”
Fator essencial à escolha dos cimentícios é que tanto o concreto quando o bloco de vedação dispensam acabamentos adicionais – eles se bastam, tanto funcional quanto esteticamente, quando a intenção é produzir um visual industrial e moderno.
“O material mantém uma congruência conceitual entre estrutura, função e estética, resultando em arquitetura pouco convencional e exótica, mas também muito atraente. Na verdade, este é o diferencial de vendas deste tipo de edifício.”

  • O Constitución 8 é um condomínio residencial de dez apartamentos na cidade de Puebla, México, localizado em área de crescimento urbano. Chega ao mercado imobiliário com a intenção de mostrar cada unidade como produto único e personalizado. Assinado por Proyecto Cafeína – Foto: Patrick López Jaimes
  • A fachada exibe design industrial, inspirado na cultura dos lofts – espaços abertos e integrados que atraem público de estilo de vida contemporâneo – com exploração da rusticidade de materiais como o concreto, exposto em vigas e colunas estruturais, e nos blocos de vedação, que constituem panos de fachada – Foto: Patrick López Jaimes
  • Os dez apartamentos do Constitución se diferenciam pelo layout. O projeto, do grupo Cafeína, repele o desenho típico dos residenciais comuns, e aposta na máxima adaptação ao perfil de cada morador, a partir de espaços expressivos, diferentes e de possível customização; na fachada, volumes dos apartamentos avançam e recuam, movendo-se livremente para dentro e para fora em linhas irregulares, mas geometricamente harmônicas – Foto: Patrick López Jaimes
  • É esse movimento livre dos volumes, para dentro e para fora da fachada, que possibilita individualizar o layout de cada apartamento, de acordo com sua posição em relação a vento, luz e entorno. Deslocamentos sobre linhas horizontais geram ambientes amplos e abertos, terraços e varandas-balcão; já os verticais produzem pés direitos duplos e variações de níveis entre ambientes de uma mesma unidade. O Constitución 8, projetado pelo grupo Cafeína, fica em Puebla, no México – Foto: Patrick López Jaimes
  • Guarda-roupas e armários foram desenhados individualmente, com design de Proyecto Cafeína, para carpintaria (closets e cozinhas), e a iluminação foi explorada com spots adaptados a eletrodutos expostos – a rusticidade dos materiais é traço característico da obra. É o movimento livre de volumes, para dentro e para fora da fachada, que possibilita individualizar o layout de cada apartamento, gerando ambientes amplos e abertos, pés direitos duplos e variações de níveis entre ambientes de uma mesma unidade. O Constitución 8 fica em Puebla, no México – Foto: Patrick López Jaimes
  • Elementos estruturais de concreto – vigas e pilares – exibem-se, integrando o design de interiores, ao mesmo tempo em que se aliam a tijolinhos cerâmicos, blocos de vedação de concreto, que também constituem elemento de fachada, e extensões de piso em cimento queimado. Amplas janelas integram todos os ambientes, abertos à natureza circundante. Projeto do grupo Cafeína, para residencial em Puebla, no México – Foto: Patrick López Jaimes
  • Placas de vidro branco leitoso são usadas como divisórias de ambientes nas cozinhas e como revestimento de paredes nos banheiros. A marcenaria dos armários, tanto nos banheiros como nas cozinhas, também têm revestimento branco, o que contribui para a ampliação dos espaços internos. Projeto do grupo Cafeína, para o residencial Constitución 8, em Puebla, no México – Foto: Patrick López Jaimes
  • Placas de vidro branco leitoso são usadas como divisórias de ambientes nas cozinhas e como revestimento de paredes nos banheiros. A marcenaria dos armários, tanto nos banheiros como nas cozinhas, também têm revestimento branco, o que contribui para a ampliação dos espaços internos. Alguns apartamentos trazem entrepiso com mezanino, em estrutura metálica, o que fica possibilitado nos espaços onde o deslocamento vertical das linhas da fachada gerou, internamente, pés direitos duplos. Projeto do grupo Cafeína, para condomínio residencial em Puebla, no México – Foto: Patrick López Jaimes
  • Projeto do grupo Cafeína mescla a rusticidade dos materiais – a exemplo dos tijolinhos cerâmicos vermelhos e aparentes, que aquecem os ambientes, em choque com eletrodutos de iluminação expostos e sem pintura. O Constitución 8 fica em Puebla, no México – Foto: Leonardo Neve Sánchez
  • A circulação vertical entre apartamentos e dentro das unidades se dá por lances de escadas metálicas. Projeto do grupo Cafeína, para condomínio residencial em Puebla, no México – Foto: Leonardo Neve Sánchez
Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também