Votorantim Cimentos
Publicado em 31/03/2016Whitetopping recupera pavimentos asfálticos com mais durabilidade
Novo tipo de cobertura à base de concreto evita aparecimento de novos buracos

Whitetopping recupera pavimentos asfálticos com mais durabilidade

Pavimentos asfálticos podem ser recapeados com “cobertura branca” de concreto

É muito tráfego nas ruas, com aumento gigantesco do número de veículos e aumento de carga por eixo, que trazem às cidades, grandes e pequenas, o desafio de manter um trabalho constante de reparar, recuperar ou substituir as camadas esburacadas de asfalto nas vias públicas. Por outro lado, muitas prefeituras ainda fazem uso de técnicas que remontam há meio século: normalmente, buracos no asfalto são tratados com mais asfalto, o que, em pouco tempo, não se mostra suficiente, dando lugar a novos buracos.

O problema, no entanto, não é só de tráfego, mas suas consequências dizem respeito à segurança do usuário, à manutenção dos automóveis, que também se deterioram mais rápido, e à própria economia, num país de cultura rodoviária, onde grande parte da produção (agrícola e industrial) escoa pelas estradas, do campo ou da fábrica, até centros de consumo e portos de exportação.

Assim, é preciso partir para técnicas mais modernas, efetivas, sustentáveis e que reduzam o volume de manutenção das ruas no curto e médio prazos. O whitetopping (cobertura branca) é um concreto à base de cimento que promete revolucionar a ideia de que a recuperação de pavimentos só pode ser feita com materiais da mesma natureza da mistura pré-existente.

O engenheiro Marcos Dutra de Carvalho, coordenador do Núcleo de Pavimentação da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), explica que o termo whitetopping se refere à execução direta de camada de pavimento de concreto, de cor cinza clara, com função de base e de revestimento, sobre camada asfáltica de cor escura. O whitetopping é “encaixado” com fresagem ou com a remoção parcial da mistura asfáltica, a partir do uso de equipamentos de pequeno porte (réguas vibratórias e vibradores de imersão). A vantagem é que, com essa nova cobertura, camadas inferiores do pavimento ficam sujeitas a esforços muito reduzidos, o que garante preservação e maior durabilidade de ruas e corredores de ônibus.

Além de ser mais econômica, com menores custos de manutenção (dispensa reforços estruturais periódicos, e é mais resistente), a solução em concreto reaproveita toda a infraestrutura do pavimento de asfalto, além de fazer uso de uma tecnologia que construtores brasileiros conhecem muito bem. O whitetopping também aumenta a segurança e o conforto nas estradas, já que ranhuras superficiais produzidas aumentam a aderência dos pneus, evitando aquaplanagens e reduzindo a distância necessária para frenagem.

Sua execução é regida por procedimentos normatizados, conforme norma do Departamento Nacional de Infraestruturas de Transportes (DNIT- 068/2004 – Pavimento Rígido – Execução de camada superposta de concreto do tipo whitetopping por meio mecânico – Especificação de Serviço).

Como fazer

De acordo com a ABCP, o método de execução do whitetopping dependerá do equipamento utilizado e da logística da obra. Para obras rodoviárias ou urbanas, como corredores de ônibus, equipamentos de grande porte (vibroacabadoras de fôrmas deslizantes) aumentam a produtividade para até um quilômetro por dia. Mas poderão ser usadas também acabadoras de fôrmas fixas, de cilindro giratório ou réguas vibratórias – todas de produtividade menor.

O melhor concreto será aquele produzido em usinas dosadoras e misturadoras, fornecido em caminhões basculantes, e as etapas de execução são as mesmas dos pavimentos comuns de concreto:

– Preparo de fundação (subleito e sub-base);

– Assentamento das linhas-guias, para vibroacabadoras de fôrmas deslizantes, ou de fôrmas metálicas fixas, para acabadoras de cilindro giratório ou de réguas vibratórias;

– Colocação das barras de transferência e de ligação;

– Lançamento, espalhamento, adensamento e acabamento do concreto;

– Texturização superficial (ranhuras);

– Cura e proteção do pavimento acabado;

– Serragem e selagem das juntas.

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também