Votorantim Cimentos
Publicado em 14/12/2016Ecoeficiência mede impacto ambiental de produtos e serviços
As emissões de gases de efeito estufa para a argamassa industrializada são 68% menores para o mesmo m3 aplicado em relação à argamassa virada em obra

Ecoeficiência mede impacto ambiental de produtos e serviços

Análise realizada pela Votorantim Cimentos revela que argamassa industrializada causa menor impacto ambiental quando comparada à virada em obra

Para que o sucesso de uma construção sustentável seja alcançado são imprescindíveis produtos sustentáveis. A Votorantim aposta no desenvolvimento de produtos inovadores e está sempre buscando formas de reduzir impactos no meio ambiente.

Para medir o impacto dos produtos e serviços em todo seu ciclo de vida, a Votorantim Cimentos possui uma área de Ecoeficiência, que apoia as decisões de negócio da companhia visando a aplicação contínua de práticas sustentáveis. “O objetivo é implementar na nossa gestão e estratégia, o processo e cultura de quantificar sustentabilidade e assim, direcionar o processo de melhoria contínua e inovação, além de fortalecer nossa comunicação interna e externa, reforçando as contribuições positivas dos nossos produtos”, explica Fábio Cirilo, consultor de Ecoeficiência da Votorantim Cimentos.

A avaliação da ecoeficiência é uma ferramenta de gestão que permite quantificar os impactos ambientais do ciclo de vida de um produto. No âmbito da avaliação da ecoeficiência, os impactos ambientais são avaliados com a utilização da Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) – veja na figura abaixo, conduzida em conformidade com as normas brasileiras (NBR ISO 14040, NBR ISO 14044).

 

790x490px-VC-Mapa-01

Desta maneira, a avaliação da ecoeficiência compartilha com a ACV muitos princípios importantes, como perspectiva de ciclo de vida, completeza, abordagem de unidade funcional, natureza iterativa, transparência e prioridade da abordagem científica. E foi isso que a Votorantim Cimentos fez ao promover uma avaliação comparativa do desempenho ambiental de duas alternativas de produção de argamassas: argamassa industrializada Matrix e argamassa virada em obra.

 

Os resultados mostram que a argamassa industrializada oferece menor
impacto ambiental quando comparada a alternativa virada em obra

790x490px-VC-Mapa-02

As emissões de gases de efeito estufa para a argamassa industrializada são 68% menores para o mesmo m3 aplicado em relação à argamassa virada em obra, diferença que em termos absolutos representa 280 kg CO2 eq. / m³. O consumo de água para a argamassa industrializada é 30% menor para o mesmo m³ aplicado, diferença que em termos absolutos representa 128 litros por m³.

790x490px-VC-Mapa-03

“O uso da argamassa industrializada se mostra mais ecoeficiente. A adoção dessa tecnologia contribui com a redução de diversos impactos ambientais, como o consumo de água, energia e emissões de gases de efeito estufa. Os principais ganhos vistos em termos de impactos ambientais devem-se à tecnologia de produção da argamassa industrializada, refletida em sua maior produtividade 1800 kg/m3 contra 2080kg/m3 da argamassa virada em obra, o uso da cal na argamassa virada em obra também é um fator de impacto ambiental eliminado no caso da industrializada e além disso essa tecnologia reduz muito o desperdício de materiais em uma obra”, finaliza Fábio Cirilo.

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também