Votorantim Cimentos
Publicado em 28/03/2017Dicas para comprar materiais de construção pela internet
Embora seja mais prático, comprar pela internet requer alguns cuidadosCréditos: Odua Images/shutterstock.com

Dicas para comprar materiais de construção pela internet

Seguir especificações do arquiteto, verificar medidas e material são recomendações básicas para que a praticidade não se transforme em pesadelo

Hoje, é possível comprar uma ampla gama de produtos pela internet, novos ou usados, nacionais ou importados. Para adquirir livros, por exemplo, basta ler a sinopse, dar alguns cliques e aguardar a entrega. Não tem erro. Mas e quando o que se pretende comprar são materiais para obras da construção civil e peças de mobiliário? Aí a tarefa já fica um pouco mais complicada, pois a variedade de opções de um mesmo item é grande, sendo importante seguir estritamente as especificações do arquiteto ou responsável pela obra.

Gustavo Tenca, arquiteto e sócio da 24.7 Arquitetura, acha imprescindível que o consumidor receba assessoria de um técnico antes de entrar em um site e sair comprando. “O profissional especializado irá especificar a quantidade, a medida, o material de que é feito o produto, além de indicar marcas conceituadas e sites confiáveis para uma compra segura”, ele afirma, exemplificando com uma torneira, que, embora pareça simples de ser comprada, pode ser feita com os mais diversos materiais e precisa encaixar perfeitamente na tubulação.

Embora seja possível encontrar de tudo na internet, Tenca considera menos arriscado comprar metais e louças para cozinhas e banheiros, como torneiras, cubas, sanitários, toalheiros etc.; acabamentos para portas, como fechaduras, maçanetas, ferragens etc.; revestimentos; e itens de iluminação. “Materiais usados na obra propriamente dita, como blocos e cimento, não são encontrados tão facilmente online. Até podem ser comprados virtualmente, mas acho interessante ligar na loja e falar com um vendedor para garantir a compra correta”, recomenda o arquiteto.

Vantagens e desvantagens

As principais vantagens são, sem dúvida, a comodidade e a praticidade de se fazer uma compra sem ter de sair de casa. “Muitas pessoas não têm tempo de visitar várias lojas para comparar preços e encontrar o produto que desejam. Na internet, em poucos minutos você visita vários sites”, diz o sócio da 24.7 Arquitetura.

Já a desvantagem é não poder tocar o produto. “Alguns itens são diferentes do que vemos na tela, porque pela internet não temos como sentir a textura nem a diferença de luz e cor, por exemplo”, aponta Tenca.

Em relação ao preço, o arquiteto declara não ver muita diferença entre as lojas físicas e virtuais. “É preciso considerar que os sites só mostram o valor do frete quando a compra está sendo finalizada, enquanto na loja física o valor já está incluso. Às vezes, com o frete, não vale a pena”, ele observa. “Acho que há mais diferença entre lojas e entre sites do que entre uma loja física e uma virtual”, completa.

Direito de arrependimento

De acordo com o artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor, o consumidor pode desistir da compra de um produto ou contratação de um serviço no prazo de sete dias a contar da assinatura do contrato ou do recebimento do artigo/serviço, sempre que o produto ou serviço for adquirido fora de um estabelecimento comercial, ou seja, pela internet, por telefone ou de vendedores que batem à sua porta.

Esse direito ajuda quem compra produtos pela internet e, quando os recebe, vê que não era exatamente o que esperava, já que não é preciso justificar a desistência. No entanto, Gustavo Tenca lembra que, quando se trata de materiais para obras, embora eles sejam comprados com antecedência, a embalagem só é aberta na hora de empregá-los. Assim, é comum o prazo para devolução ter expirado. Uma dica, então, é sempre abrir o produto comprado online assim que ele for entregue, para que ele possa ser devolvido caso não atenda às expectativas.

Leia também: Compra segura

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também