Votorantim Cimentos
Publicado em 06/07/2016Conheça a arte que transforma cimento em ladrilho
Por dia, uma pessoa pode produzir de 80 a 300 peças, dependendo do nível de detalhamento. Processo é 100% artesanalCréditos: Renata Garzon

Conheça a arte que transforma cimento em ladrilho

As primeiras referências ao uso do ladrilho hidráulico remontam a 1857, quando a peça foi descrita como alternativa à pedra, principalmente ao mármore

Ele dá charme, confere um ar cool, é sinal de bom gosto e transforma qualquer ambiente. O ladrilho hidráulico é uma forte tendência de acabamento. Isso porque os milhares de modelos e possibilidades de combinações de cores também compõem a decoração do ambiente no qual são aplicados.

É uma opção com pegada rústica, que combina com materiais de demolição e acabamentos como cimento queimado. No entanto, compõe muito bem ambientes em estilo mediterrâneo, inglês e até contemporâneo. Atualmente, o ladrilho hidráulico é considerado atemporal, combina com tudo. Pode ser utilizado em qualquer ambiente: varanda, banheiro, cozinha, área de serviço, halls, salas e onde a imaginação mandar. Basta usar a criatividade e dar seu toque pessoal.

História

As primeiras referências do seu uso remontam a 1857, quando a peça foi descrita como alternativa à pedra, principalmente ao mármore. Ele foi apresentado na Exposição Universal de 1867, em Paris, pela empresa Garret, Rivet i Cia como uma “cerâmica” que não precisava de cozimento, pois era solidificada em prensas.  Rapidamente se espalhou pelos países mediterrâneos e também se tornou popular na Inglaterra vitoriana e na Rússia, por sua resistência e qualidade decorativa.

A partir da década de 60 perdeu força devido à chegada do azulejo, que tinha uma produção muito mais rápida e, consequentemente, era mais interessante comercialmente. Assim, tornou-se muito mais um item decorativo do que para acabamento propriamente dito. Voltou a ganhar espaço, teve seu apogeu no final do século de XIX e agora ganha destaque novamente.  Até hoje continua sendo produzido um a um, da mesma maneira como era feito há mais de um século.

De geração para geração

A Dalle Piagge é uma das mais tradicionais fábricas de ladrilho hidráulico do Brasil. “Nossa história começa com a imigração do bisavô do meu primo Marcelo Ruocco, Federico Dalle Piagge, que veio da Itália para o Brasil com seus sonhos, a técnica e as primeiras formas para produção dos ladrilhos hidráulicos. Chegando aqui, começou a trabalhar produzindo as primeiras peças que começaram a ser utilizados em casas da aristocracia paulistana”, explica Divo Picazio, proprietário da empresa, juntamente com seu primo Marcelo.

Antônio Gomes Nascimento, 68 anos, começou a fabricar ladrilhos hidráulicos aos 16 anos ainda quando morava na sua cidade natal, Jequié, na Bahia. Está na Dalle Piagge há 53 anos, onde é chamado de mestre
Antônio Gomes Nascimento, 68 anos, começou a fabricar ladrilhos hidráulicos aos 16 anos ainda quando morava na sua cidade natal, Jequié, na Bahia. Está na Dalle Piagge há 53 anos, onde é chamado de mestre

Desde 1997, Divo e Marcelo tocam a Dalle Piagge cuidando para que a manufatura artesanal das peças, a técnica e a qualidade passadas de geração em geração sejam mantidas.  “Mantemos a tradição da qualidade, mas nos atualizamos criando novos modelos com alguns arquitetos de renome e com a necessidade e preferência dos clientes”, ressalta Divo.

Assentamento

O assentamento do ladrilho hidráulico é simples, mas deve seguir algumas orientações para garantir um bom resultado final:

  • Utilizar a argamassa Votomassa ACIII Flexível branca;
  • Deixar de 1 a 1,5 mm entre as peças;
  • A altura (nivelamento) deve ser acertado na hora do assentamento, já que as peças não têm a mesma altura devido ao processo artesanal de fabricação;
  • Se usar o martelo de borracha, enrole-o em um pano para não “machucar” o ladrilho. O mais indicado é dar “soquinhos” com as mãos;
  • Aplicar a 1ª demão de resina e esperar 8h para secar;
  • Calafetar com pó de rejunte;
  • Aplicar 2ª demão de resina, mais 8h para secar e está pronto.

Manutenção

De fácil manutenção, o ladrilho só não admite produtos químicos:

  • O ladrilho deve ser resinado, pois é muito poroso e pode absorver qualquer coisa que cair;
  • Nunca utilizar produto químico para limpar, somente água e sabão;
  • Passar cera líquida incolor dissolvida na água, com pano úmido, a cada 15 dias. A cera conserva e dá brilho na resina, criando uma película que protege o ladrilho.

Como é fabricado?

É um processo 100% artesanal. A base do ladrilho hidráulico é feita com cimento e pó de pedra. A parte superior (decorada) é constituída por cimento branco, pó de mármore e pigmento que dá a cor. São mais de 30 cores e cerca de 1.400 modelos.

Uma pessoa fabrica uma média de 120 ladrilhos por dia com moldes mais abertos, sem tantos detalhes. Se for um modelo muito detalhado, são cerca de 80; e se forem lisos, a média de produção diária sobre para 300. Acompanhe na galeria cada etapa do processo.

  • A fôrma é limpa e untada com um produto desmoldante com um instrumento chamado de munhequeira
  • É colocado o quadro para fechar a fôrma, sem seguida o molde com o desenho
  • A mistura de cimento branco, pó de mármore e pigmento é colocada nos respectivos espaços seguindo um modelo padrão
  • É colocado o pó de pedra e o cimento, que é o que vai sugar a umidade da mistura colorida. Na sequência é colocada a misca
  • Uma régua é passada para regularizar a altura, a fôrma é tampada e vai para a prensa
  • A desforma é feita utilizando um ladrilho velho como apoio, uma espécie de bandeja
  • O ladrilho vai para a prateleira descansar de um dia para o outro
  • A peça é levada para o tanque de água, onde fica uma média de 12 horas para a cura do cimento
  • Após sair do tanque é colocado em prateleiras, onde vão secar durante um período que pode variar de 7 a 15 dias
Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também