Votorantim Cimentos
Publicado em 10/10/2016Confira dicas para evitar problemas durante a reforma
Reformar a casa pode ser algo muito desgastante devido à bagunça, sujeira e movimentação de pedreirosCréditos: li chaoshu/shutterstock.com

Confira dicas para evitar problemas durante a reforma

O arquiteto Iberê Campos aponta o caminho para uma reforma sem grandes imprevistos e rombo no orçamento

Quem já fez uma reforma em casa sabe o quanto isso pode ser desgastante e até desagradável.  É um entra e sai de profissionais, materiais de construção ocupando lugares nos cômodos, toda aquela sujeira, fornecedores descumprindo prazos e o orçamento estimado indo pelos ares. Contudo, é possível minimizar esses e outros inconvenientes com profissionais qualificados, materiais adequados e um bom planejamento.

“Quando o carro quebra, geralmente se leva a um mecânico para consertar. Poucos são os que se arriscam a consertar por si mesmos, e quando isto acontece é por absoluta falta de dinheiro ou então por hobby. Na construção e reforma de casas e apartamentos acontece a mesma coisa, mas como o volume de dinheiro é muito maior, a tentação de se arriscar por conta própria é igualmente maior”, alerta o arquiteto Iberê Moreira Campos.

Entretanto, justamente pelo maior volume de dinheiro envolvido, reformar ou construir não é serviço para amadores. “Visto por muitos como luxo desnecessário, o trabalho do arquiteto e do engenheiro é fundamental para manter o custo dentro do razoável e também para conseguir o melhor resultado possível dentro do orçamento proposto”, explica Iberê.

A tentação de fazer as coisas por conta própria é grande. É só aparecer um dinheiro extra ou herdar algumas economias do mês passado que é difícil segurar a vontade de trocar o piso da cozinha, reformar o banheiro, derrubar uma parede indesejada, pintar sala, etc. Respire fundo e resista à tentação. Antes de qualquer coisa, é preciso planejamento.

O primeiro passo é definir exatamente o que vai ser feito e o quanto se pretende gastar. “Isso vai orientar o tipo e quantidade de materiais a comprar e quais profissionais serão contratados, entre outras despesas. É importante manter os pés no chão e distribuir bem a verba disponível, para tanto é essencial ter um orçamento detalhado, com o preço dos itens muito bem pesquisados, para que o fim do dinheiro não chegue antes do final da obra”, orienta.

Confira algumas dicas do arquiteto Iberê Campos e boa reforma!

Fuja do “já quê”

“Já que eu estou fazendo a reforma do piso, porque não tirar esta parede?”, “Já que quebrei essa parede, porque não fazer também um banheiro a mais?”, “Já que vou fazer um banheiro, porque não fazer mais um quarto?” e por aí vai. Esse comportamento pode levar à completa mudança de planos e presumível estouro do orçamento. É admissível que o proprietário pense em melhorar sua obra, a empolgação com as mudanças na casa pode trazer ideias novas, mas é preciso controlar estes impulsos.

Compra de material de construção e contratando mão-de-obra

Na hora de comprar o material é preciso pesquisar bastante, pois as lojas apresentam grandes diferenças nos preços, formas de pagamento e nos juros. Há muita diferença, também, em relação à especificação e qualidade do material.

Atenção aos detalhes:

Pintura: Merece atenção especial. Entre outros cuidados, é preciso preparar as paredes antes da pintura para deixá-las uniformes e também para remover sujeiras, óleos e pó que dificultam a aderência da tinta nova. Se forem embutir móveis, deixe para dar a última demão de tinta na parede após a instalação.

Tinta: Antes de aplicá-la é preciso limpar bem as paredes previamente lixadas, para evitar que a pintura descasque. Evite o uso de tinta muito diluída e não pinte sobre paredes úmidas.

Argamassa: Escolha o tipo certo para o local no qual o revestimento será aplicado. Tenha atenção, também, ao tempo: o rejuntamento e a argamassa são perecíveis. Depois de misturadas com água, devem ser utilizadas em até duas horas. Após esse período, se utilizá-los, o revestimento pode se soltar com o tempo. Rejuntes escuros ficam com aparência de velhos mais cedo, principalmente em paredes e locais que recebem sol direto; melhor optar pelos mais claros.

Pisos: Caso o piso não seja trocado, proteja-o contra riscos durante toda a obra, especialmente se for de madeira. Utilize placas de madeira compensada ou de borracha para proteger as áreas de passagem.

Elétrica e hidráulica: Não se esqueça de evitar o “já quê”, mas aproveite a oportunidade da reforma para checar o estado da parte elétrica e hidráulica e fazer reparos, se forem necessários. Encare o serviço como um investimento no imóvel e um seguro contra aborrecimentos futuros.

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também