Votorantim Cimentos
Publicado em 13/01/2015Como economizar?

Como economizar?

É preciso mudar comportamento em tempos de escassez de água, e cuidar das gerações futuras

O verão chegou. Com ele, as altas temperaturas – e a necessidade de consumir mais água. O problema é que em localidades como São Paulo os reservatórios ainda não estão cheios o suficiente para que não seja mais necessário economizar.
A água é um bem escasso, e mesmo quando disponível, em tempos de chuvas abundantes, é preciso pensar nas gerações futuras, e consumir com responsabilidade. Segundo o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS), alguns cuidados gerais são indispensáveis:
Primeiro, seja em casa, no trabalho ou em espaços públicos, é preciso atentar e denunciar vazamentos – em tubulações, equipamentos, ou mesmo nas torneiras e chuveiros. Cabe ao cidadão exercer seu papel fiscalizador e parceiro do poder público, apontando irregularidades.
Em casa, reduza o consumo ao lavar a louça, escovar os dentes ou tomar banho (veja abaixo como). No caso de atividades diárias que não representem riscos à saúde humana, como limpar os pisos, também vai ser possível reutilizar água da máquina de lavar roupas.
Se morar em condomínios, participe das reuniões e cobre gestão responsável da água. Divulgue a mudança dos hábitos individuais de cada consumidor, para que o uso desse bem seja enfim racionalizado.
Mudança de hábito
É a Sabesp quem ensina a mudar o jeito de fazer as coisas dentro de casa. Segundo a companhia, 110 litros são suficientes para atender às necessidades de consumo e higiene de cada pessoa, por dia.
O banho, por exemplo, não deve durar mais do que cinco minutos. Quinze minutos de chuveiro elétrico gastam 140 l de água, enquanto a ducha, por este mesmo tempo, gastará 240 l. Ao reduzir o tempo para cinco minutos, a economia será de pelo menos 90 l.
Além de reduzir o tempo do banho, também é indicado fechar o registro para se ensaboar. Essa prática traz nova redução no consumo, da ordem de 80 l. Isso porque não é necessário deixar o chuveiro ligado para se ensaboar. Essa prática também incentiva reduzir, ainda mais, o tempo total de duração do banho.
Por outro lado, ao escovar os dentes, deixe a torneira fechada e, para controlar o consumo de água no enxágue, use um copo. Assim, se a higiene bucal com torneira aberta pode gastar mais de 12 l, deste jeito você não vai consumir mais do que um litro – ou seja, economizará, no mínimo, 11 litros.
Para fazer a barba vale o mesmo: ao fechar a torneira, a economia mínima será de 11 litros, e o consumo máximo não passará de três litros de água.
Não jogue papel higiênico no vaso sanitário, não só porque poderá entupir tubulações, mas porque mais água será necessária na descarga para fazer descer os sólidos. Assim, adotar um cesto de lixo também reduzirá o consumo deste bem escasso.
Economia no quintal
Ao limpar a calçada e o quintal, use uma vassoura para afastar a sujeira, e não o jato d’água. A perda média, com o jato, é da ordem de 300 l, a depender do tamanho do quintal – um gasto que não se justifica.
Quem lava o carro com mangueira aberta, por meia hora, consome quase 600 l de água! A desnecessidade é clara, se você considerar que dá para deixar o carro bem limpo usando quatro baldes cheios de apenas dez litros cada (ou seja, total de 40 litros).
Para regar plantas, a mangueira também deve ser evitada. Regadores são instrumentos que ajudam na economia. No verão, regar à noite ou de manhã muito cedo reduz o nível de evaporação (e perda) da água jogada na terra. No inverno, a questão do horário da rega é um problema menor.
Economia na cozinha
Segundo a Sabesp, para cada copo limpo que se tira do armário para tomar água, dois litros de água serão gastos para sua lavagem. Portanto, use um mesmo copo por quantas vezes possível!
Antes de lavar pratos e panelas, afaste com garfo ou guardanapo usado restos de comida – isso facilita a lavagem, reduzindo a quantidade de água necessária.
Depois, feche a pia, encha-a de água com um pouco de detergente, e deixe a louça suja de molho. Após alguns minutos, ensaboe, esfregue e faça um primeiro enxágue usando a própria água do molho.
Na sequência, abra a torneira apenas para fazer o enxágue final – esse método gerará uma economia de 600% o volume de água consumido para lavar a louça.
Quando o assunto é lavar a roupa, nunca ligue a máquina sem que esteja repleta de roupas. Aproveite toda a água consumida, lavando a maior quantidade de roupas possível.
Não há como controlar a quantidade de água utilizada pela máquina – o que pode ultrapassar os 135 l. Então, o jeito é juntar bastante roupa suja e tentar não ligar a máquina mais do que duas ou três vezes na semana. Quem lava a roupa no tanque, ensaboa e esfrega as peças com a torneira fechada, usando a água do molho.

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também