Votorantim Cimentos
Publicado em 26/12/2016Aproveitamento da água de chuva economiza consumo e reduz enchentes
Água de chuva é destinada para irrigação de jardins, lavagem de pisos e descarga de vasos sanitários

Aproveitamento da água de chuva economiza consumo e reduz enchentes

Sistemas podem economizar até 50% de água potável e são adequados para diferentes tipos de edificação

O aproveitamento da água de chuva é destinado à irrigação de jardins, lavagem de pisos e descarga de vasos sanitários. Trata-se de uma solução que racionaliza o consumo potável e contribui para reduzir as enchentes, pois retém boa quantidade pluvial em cisternas.

No mercado, há sistemas adequados para residências, edificações, empreendimentos comerciais e indústrias. Em alguns casos, é possível economizar até 50% o consumo de água. Outra boa notícia é o custo relativamente baixo para a implantação, considerando o payback em curto período, principalmente em estabelecimentos com grande área de cobertura para a captação da chuva.

Como funciona?

Os sistemas de aproveitamento da água de chuva são constituídos por filtros, redutor (ou freio) de água, boia, sifão e cisternas, que podem ser pré-fabricadas de polietileno ou concreto. Recomenda-se que elas sejam enterradas – sem contato com luz e calor – para retardar a ação das bactérias.

A água é coletada para uma bacia por condutores verticais ligados às calhas do telhado. Em seguida, ela passa por um filtro – feito com uma malha fina de aço inoxidável – que a separa de impurezas, como folhas, galhos, insetos e musgos. Esses detritos são levados embora por uma tubulação de descarte junto com cerca de 5% a 10% do líquido que não atravessou o filtro.

Depois, a água desce para a cisterna por um tubo de 100 mm que desacelera a sua pressão, evitando o espalhamento da sujeira decantada no fundo da superfície. A retirada ocorre por uma mangueira flexível conectada a uma boia que consegue captar a parte mais limpa e oxigenada. Funciona como uma segunda filtragem. Já o sifão, formado por duas aletas, elimina eventuais resíduos que tenham passado pelo filtro e bloqueia a entrada de insetos e roedores.

Em períodos de estiagem, pode-se utilizar um kit de interligação, que é instalado dentro ou fora da cisterna. Esse mecanismo possibilita a entrada automática de água potável, mantendo o compartimento sempre cheio.

Dimensionamento do sistema

O projeto deve considerar o volume de água gerado em metros cúbicos por mês na área de cobertura. Existem parâmetros nos quais é possível se basear, como nos dados fornecidos pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica do Governo do Estado de São Paulo. Há, também, o cálculo do consumo, que deve considerar a destinação (vasos sanitários, irrigação, reabastecimento de piscinas, lavagem de pisos, processos industriais etc.). Por fim, há a especificação do reservatório de acordo com sua capacidade de armazenamento e do local de instalação.

Cuidados

Durante a implantação, é necessário separar e identificar as tubulações da água potável e da água de chuva, preferencialmente com cores diferentes. Da mesma maneira, as torneiras e as caixas d’água devem conter sinalizações para indicar o tipo de consumo. Também é importante que os reservatórios destinados ao armazenamento dos dois tipos de água sejam instalados distantes um do outro (jamais separados por uma única parede), pois podem ocorrer vazamentos provocados por rachaduras e, por consequência, contaminações.

Outra recomendação é não utilizar no sistema água das áreas de pisos – pois são lavadas com produtos químicos –, nem de garagens, onde pode ocorrer vazamento de combustível de veículos e contaminar a água da chuva.

Para a instalação, é fundamental contar com um profissional treinado que considere outros aspectos relevantes, como o nivelamento e a inclinação das tubulações, que deve ser, no mínimo, de 1%, para permitir o fluxo de água correto, a limpeza antes do início da operação e a impermeabilização. A manutenção deve ser feita semestralmente, de modo a observar se as tubulações não estão obstruídas, se as tampas estão bem encaixadas e se as cisternas apresentam algum tipo de avaria.

Leia também: Reservatórios de concreto atendem alta demanda de armazenamento de água

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também