Votorantim Cimentos
Publicado em 22/02/2016Setor casa e decoração é segundo lugar em vendas online
Itens para a decoração e eletrodomésticos podem atrair novos clientes, contudo exigem maior investimento e cuidados do empreendedor

Setor casa e decoração é segundo lugar em vendas online

Pesquisa mostra que objetos de decoração e utensílios domésticos atraem consumidores do comérico eletrônico

Por que não colocar algumas utilidades domésticas e artigos de decoração à venda no seu estabelecimento? Só não se esqueça de anunciar na loja virtual os mesmos produtos! De acordo com a 2ª Pesquisa do Varejo Online, realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com o E-commerce Brasil, o setor Casa e Decoração aparece como o segundo segmento líder no comércio eletrônico.

Itens como eletrodomésticos, papéis de parede, vasos, castiçais, porta-retratos e até mobiliário podem atrair novos clientes que, hora ou outra, vão precisar comprar revestimentos e outros materiais de construção. A diferença é que, por serem pesados, volumosos, frágeis ou muitos delicados, tais produtos exigem serviços de montagem e de assistência técnica, armazenamento e distribuição – o que representa maiores investimentos e mais trabalho para empreendedor.

“Entre janeiro e julho de 2015, os termos mais buscados no Google foram: cozinha, cama, ar- condicionado, decoração, geladeira e banheiro”, afirma a coordenadora nacional de comércio eletrônico do Sebrae, Hyrla Marianna Oliveira. Então, para ajudar empresários que já possuem ou pretendem abrir um e-commerce com móveis e artigos para a casa em sua lista de produtos, o Sebrae preparou uma cartilha com cinco dicas especiais:

Se arrepender é um direito do consumidor

O direito à devolução por arrependimento ou desistência vale para todos os produtos adquiridos online. O prazo é de até sete dias corridos, contados a partir da data da entrega do produto.

Evite trocas e devoluções

As trocas e devoluções podem ser reduzidas com a adoção de algumas práticas e cuidados, como: fotografias dos produtos em alta resolução, com fundo branco, para destacar suas características – de preferência com uma pessoa ao lado, a fim de que o consumidor tenha uma boa noção do tamanho do objeto; descrição detalhada de cada item (composição, quantidade, volume etc). Embale peças delicadas para que não sofram avarias durante o transporte. O cliente tem de ser informado sobre produtos que serão entregues desmontados – e de quem é a responsabilidade pela montagem.

Facilite a montagem

Envie sempre o manual de montagem junto com o produto. As instruções devem ser detalhadas e didaticamente organizadas. Se puder, informe aos consumidores quais fornecedores ou sites especializados anunciam montadores de móveis.

Atenção ao armazenamento e à distribuição

As áreas de armazenamento devem ser projetadas ou adaptadas para assegurar condições ideais de estocagem. Móveis pedem galpões amplos; quadros (fotos e pinturas) requerem locais com temperatura e umidade controlados. É imprescindível formar parceria com uma grande transportadora, que tenha credibilidade no mercado.

Dê informações sobre a assistência técnica

Disponibilize as informações de assistência técnica na loja virtual e oriente o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) a tirar possíveis dúvidas, além de receber reclamações e elogios. Para isso, é possível investir na capacitação de técnicos locais autônomos ou ter contatos de assistências multimarcas.

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também