Votorantim Cimentos
Publicado em 12/04/2016Reuniões entre Sebrae e BNDES debatem nova linha de crédito para pequenos negócios
Cerca de 78% das microempresas do País serão beneficiadas com empréstimos de até R$ 30 mil por ano

Reuniões entre Sebrae e BNDES debatem nova linha de crédito para pequenos negócios

BNDES negocia linha de crédito para microempresas que faturam até R$ 360 mil; taxas devem ficar em 25% a.a.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apresentou ao Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) uma proposta de nova linha de crédito para capital de giro, voltada a empresas com faturamento de até R$ 360 mil por ano. A linha poderá beneficiar 78% das microempresas brasileiras, com empréstimos de até R$ 30 mil por ano.

O objetivo inicial era chegar a taxas de juros de 18% ao ano. Bancos federais como o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal (CEF), no entanto, ainda estão negociando com o BNDES e fazendo ajustes para que a taxa ao tomador final seja mais vantajosa que as atualmente oferecidas pelas financeiras.

Segundo informações da assessoria de imprensa do Sebrae, tudo indica que as linhas chegarão ao microempresário a um custo próximo de 25% a.a. – o que, para o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, já pode ser considerado uma “evolução”, embora não seja o ideal.

A proposta prevê que os empréstimos sejam garantidos por fundos – Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), Fundo de Garantia de Operações (FGO) e Fundo de Aval da Micro e Pequena Empresa (FAMPE).  A nova linha de capital de giro está sendo planejada para reduzir a burocracia (deverá dispensar a apresentação de alguns documentos) e facilitar o acesso ao crédito. “Queremos uma operação autossustentável com foco no pequeno. Não é subsídio, nem assistencialismo”, afirmou Afif durante encontro com o BNDES.

O Sebrae tem trabalhado com o Ministério da Fazenda pela liberação de mais recursos dos depósitos compulsórios ao Banco Central e do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).  O BNDES anunciou também que o prazo para amortizar o Cartão BNDES deve ser ampliado de 48 para 60 meses. Outros ajustes estão sendo estudados a fim de aumentar a atratividade do cartão, sem onerar o cliente final, a exemplo do uso do FAMPE como garantidor.

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também