Votorantim Cimentos
Publicado em 22/02/2016Ano de faturamentos reduzidos não pode atrapalhar investimentos
Apesar do cenário econômico instável no País, empreendedores podem apostar em um novo negócio traçando boas estratégias de operação e gestão

Ano de faturamentos reduzidos não pode atrapalhar investimentos

Se você é empreendedor, veja quais cuidados tomar na hora de abrir sua loja, em meio a um cenário econômico mais recessivo

Um novo investimento faz parte dos planos de muitos brasileiros. Contudo, o empreendedor que tem planos de entrar no ramo de revenda de materiais de construção, não pode fingir que o cenário de desaquecimento econômico não existe. “A estratégia deve priorizar a conquista e a ampliação da fatia de mercado consumidor existente”, alerta o coordenador nacional de varejo de material de construção do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Maurício Tedeschi.

A preparação básica de quem empreende, porém, continua sendo a mesma: pesquisar o mercado e obter conhecimentos sobre todas as operações necessárias à empresa. Informações sobre a evolução do setor e um plano de negócios permitirão ver o empreendimento dentro do contexto atual e ajudarão a definir o formato e modelo adequado de operação e de gestão.  “Num contexto de crise econômica, três questões ganham destaque especial: segmentação, posicionamento e diferenciação”, afirma o especialista.

A segmentação determina os limites da atuação: foco e  de produtos da loja – o que a direciona ao atendimento de um público delimitado e evita a dispersão de recursos. No longo prazo, essa especialização gera reconhecimento do mercado e estabelece a reputação ou posicionamento da empresa.

Por fim, a diferenciação é o trabalho planejado que o empreendedor deve fazer para gerar valor e se destacar dos concorrentes; esforços para induzir, mudar ou reforçar seu posicionamento no mercado. “Produtos como lâmpadas LED são tendência no setor, que tem se voltado para economia, sustentabilidade e tecnologia”, avalia o coordenador do Sebrae. Assim, investir nesses itens, hoje, é essencial.

Quem tem porte maior, também poderá agregar acabamentos e objetos de decoração – tudo de acordo com a segmentação e o posicionamento da loja. Outro detalhe importante é ter, de cara, capacidade financeira para suportar o período de faturamento mais baixo, com um plano de negócios realista, até que o ponto de venda se consolide no mercado. “Outra dica é começar com um estoque mínimo, em parceria com algum distribuidor local, que tenha entrega rápida.”

Por outro lado, quem se especializa numa linha de produtos, repõe estoques com facilidade. “Procure fornecedores dispostos a negociar e estabeleça relações de longo prazo. A gestão tributária é outro item que pode fazer a diferença para uma correta precificação. Vender bem pode ser mais importante do que vender muito. Então, é melhor não descuidar do atendimento.”

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também