Votorantim Cimentos
Publicado em 27/04/2017ABNT edita primeira norma sobre sustentabilidade
A norma possui 100 indicadores de sustentabilidade urbana de diferentes áreas, tais como: economia, energia, ambiente, finanças, serviços de emergência, saúde e lazerCréditos: dandesign86/shutterstock.com

ABNT edita primeira norma sobre sustentabilidade

Norma define e estabelece metodologias para um conjunto de indicadores, a fim de orientar e medir o desempenho de serviços urbanos e qualidade de vida

A Associação Brasileira de Normas Técnicas publicou a primeira norma para comunidades sustentáveis, é a ABNT NBR ISO 37.120:2017 – Desenvolvimento sustentável de comunidades — Indicadores para serviços urbanos e qualidade de vida.

É a primeira norma brasileira sobre o assunto, que define e estabelece metodologias para um conjunto de indicadores, a fim de orientar e medir o desempenho de serviços urbanos e qualidade de vida. Além disso, segue princípios estabelecidos e pode ser utilizada em conjunto com a ISO 37101, Sustainable development in communities – Management system for sustainable development – Requirements with guidance for use, e outras estruturas estratégicas.

A norma reflete um enfoque global de indicadores para serviços urbanos e qualidade de vida, e sua aplicação deve prever que estes indicadores estejam em harmonia com as normas e legislação vigentes no Brasil, no que tange a definições, métricas e métodos de obtenção dos indicadores.

Ela possui 100 indicadores de sustentabilidade urbana de diferentes áreas, tais como: economia, educação, energia, ambiente, finanças, serviços de emergência, saúde, lazer, segurança, resíduos, transportes, telecomunicações, água, planejamento urbano etc.

Além do setor público, também pode ser usada pelas empresas para que atestem, para clientes e governo, o quão sustentável são seus empreendimentos.

Importância da norma

Nesta era da urbanização, os indicadores para serviços urbanos e qualidade de vida, podem ser usados como ferramentas cruciais para os gestores municipais, políticos, pesquisadores, líderes empresariais, planejadores, designers e outros profissionais, para ajudar a garantir que sejam colocas em prática, políticas que promovam a habitabilidade, tolerância, inclusão, sustentabilidade e resiliência, tornando as cidades economicamente atrativas e prósperas globalmente. As cidades precisam de indicadores para medir seu desempenho, melhorar a qualidade de vida e promover a sustentabilidade.

Leia também: Brasil é o 4º no mundo em construções sustentáveis

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também