Votorantim Cimentos
Publicado em 12/12/2016Entenda o uso de gabiões
Gabiões são estruturas monolíticas, estáveis, permeáveis e autodrenantesCréditos: JGA / shutterstock.com

Entenda o uso de gabiões

Compostos por malhas metálicas, eles estão entre as soluções mais antigas e eficazes para contenção do solo

Versáteis, econômicos e de fácil execução, os gabiões são estruturas compostas por malhas metálicas hexagonais que formam gaiolas preenchidas com rocha – em geral, basalto, granito ou seixo. Também podem contar com uma camada de geotêxtil para evitar a fuga de finos do solo (siltes e argilas, por exemplo) sem interromper a percolação (movimento subterrâneo) da água através do solo.

O fato de serem estruturas monolíticas, estáveis, permeáveis e autodrenantes é o que torna os gabiões tão úteis para contenção de encostas, taludes e revestimento de canais e obras hidráulicas.

Tipos de gabiões

Há três principais tipos de gabiões disponíveis no mercado. O engenheiro Luiz Antônio Naresi Júnior, especializado em obras geotécnicas, explica que o mais difundido é o gabião-caixa, que tem forma de prisma retangular e é indicado como estrutura de contenção por gravidade, em barragens, canalizações, apoios de pontes e proteção contra erosão.

Já o gabião-colchão, retangular e caracterizado por sua grande área e pequena espessura, serve para revestimento de canais, barragens em terra, proteção de encostas e obras hidráulicas em geral.

Há, ainda, o gabião-saco, que tem formato cilíndrico, é de fácil colocação e indicado para obras emergenciais, em locais de difícil acesso, com presença de água ou em solos de baixa capacidade de suporte.

Dimensão e execução

O dimensionamento dos gabiões se dá com base no comportamento estático, que considera a resistência ao tombamento, ao escorregamento, à estabilidade global e às pressões na fundação.

Embora seja de execução simples, o desempenho dessas estruturas está diretamente relacionado à forma de distribuição das rochas no interior da gaiola. Se a quantidade de vazios no gabião for muito grande, sua resistência poderá ficar comprometida. Via de regra, os gabiões devem contar com cerca de 30% de vazios. Essa proporção é capaz de garantir estabilidade e permitir à estrutura integrar-se ao meio ambiente com o crescimento de vegetação entre as pedras, por exemplo.

A durabilidade, por sua vez, depende fundamentalmente da resistência à corrosão do aço utilizado nas gaiolas, que deve estar de acordo com as agressividades ambientais às quais a estrutura ficará exposta. Ligas metálicas especiais e o revestimento do arame com camada de PVC podem ser utilizados para melhorar o desempenho da grade metálica, especialmente em aplicações com presença de lâmina d’água.

Gabiões na arquitetura

Muito empregados em obras de infraestrutura e urbanização, os gabiões têm encontrado aplicações também em projetos de arquitetura e paisagismo devido às suas muitas possibilidades de enchimento. Além da capacidade de conter o solo e proteger contra a erosão, é possível tirar partido de cores, formas e texturas das pedras, agregando um aspecto rústico e natural ao muro. Alguns exemplos de rochas utilizadas em aplicações arquitetônicas são as pedras basálticas, com coloração cinza escura, e os granitos de tonalidades mais claras.

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também