Votorantim Cimentos
Publicado em 01/04/2016Dicas para calcular e reduzir o consumo de água e energia nos canteiros
O cálculo do consumo de água e de energia elétrica é uma dificuldade para muitos orçamentistas e engenheiros

Dicas para calcular e reduzir o consumo de água e energia nos canteiros

A matemática deve abranger tudo que gera consumo nas obras. Sistemas industrializados contribuem com a redução

Calcular o consumo de água e de energia elétrica de uma obra permite maior controle de custos e aplicação de políticas ambientais em uma construção. A tarefa, no entanto, ainda é uma dificuldade para muitos orçamentistas e engenheiros. O valor do consumo de energia elétrica de um aparelho, geralmente expresso pela unidade kWh (quilowatt-hora), é obtido multiplicando sua potência pelo tempo que será utilizado.

Como uma obra conta com diversos equipamentos que consomem energia – desde pequenas furadeiras até grandes elevadores –, é necessário listar todos eles e estimar dois dados: por quantas horas serão usados diariamente e quantas vezes serão utilizados ao longo da obra. Além disso, instalações provisórias do canteiro também consomem energia, como laboratórios, escritórios e refeitórios, e devem ser consideradas nessa matemática. Com essas informações, é possível cruzar os resultados para obter um valor aproximado do consumo de energia na obra. O uso de planilhas é recomendado para organizar a relação de números.

Para calcular o consumo de água, o conceito é o mesmo. Betoneiras e outros equipamentos que consomem água, assim como instalações destinadas à lavagem de peças e outros serviços de limpeza, devem entrar na conta. Novamente, é necessário estimar qual será o consumo de cada item por dia e quantas vezes ele se repetirá durante a obra. O valor costuma ser expresso em metro cúbico (m³), que corresponde a mil litros.

Maneira de economizar

A industrialização do canteiro é um dos conceitos que melhor atende à redução de consumo de água e energia, uma vez que os materiais chegam prontos na obra e racionalizam processos — uma parede pré-fabricada, por exemplo, dispensa a alvenaria e, consequentemente, extingue todo o consumo de água e energia que essa tarefa proporcionaria. Outra alternativa para reduzir gastos de água no canteiro é a adoção de cisternas e sistemas de reutilização de água.

Além disso, é possível especificar equipamentos e materiais mais econômicos quanto ao consumo. A linha de argamassas Matrix e o modelo Massa Pronta, da linha Votomassa, oferecem essa vantagem. Fabricadas pela Votorantim Cimentos, contam com aditivo incorporador de ar e curva granulométrica controlada que reduzem o consumo de água.

Em instalações provisórias, também é possível seguir esse conceito. Especificar mictórios a seco e torneiras automatizadas com arejadores e redutores de pressão gera economia no consumo de água, da mesma forma que chuveiros com aquecedores solares reduzem o consumo de energia elétrica. Com projetos específicos, as instalações podem, ainda, aproveitar melhor as condições de iluminação e ventilação naturais, dispensando o uso luzes e aparelhos de ar-condicionado.

Leia também:

Celular no canteiro

Robô no canteiro

 

Compartilhe esta matéria

Mais lidas

Veja também